Empresa portuguesa implementa 3.000 pontos de venda de Bitcoin e outras criptomoedas

A empresa portuguesa especializada em serviços financeiros Pagaqui lançou nesta segunda-feira um serviço para venda de criptomoedas como o Bitcoin em mais de 3.000 pontos de venda em Portugal, incluindo Madeira e Açores. A informação é do portal Alto Minho.

Segundo um comunicado de imprensa, a Pagaqui, com sede no Porto e escritórios em Cascais, formou uma parceria com a startup espanhola de criptomoedas Bitnovo, com o "objetivo de facilitar o acesso à compra de criptomoedas existentes no mercado".

A Pagaqui deve disponibilizar vouchers em valores entre 20€ a 250€ da Bitnovo na compra de criptomoedas como Bitcoin, Ethereum e Dash, entre outras. O CEO da Pagaqui, João Barroz, diz na nota:

"O mercado das criptomoedas é para nós um desafio muito importante e fulcral para o crescimento da empresa, [...] Os utilizadores Pagaqui poderão comprar criptomoedas [...] de norte a sul do país. Estamos, assim, a facilitar o acesso às criptomoedas de forma inovadora em Portugal."

A Pagaqui também declarou em fevereiro que pretende lançar uma carteira digital, a "Qui", que deve facilitar seus serviços com criptomoedas. Além disso, a empresa também lançou neste ano seus serviços para o público brasileiro. A empresa diz em seu site oficial que já possui 100 pontos de venda no Brasil, depois de se estabelecer no Rio de Janeiro:

“O Brasil o mercado é muito grande e 50% dos brasileiros não tem conta no banco. Estamos a dar passos muito conservadores e em conjunto com parceiros locais.”

Recentemente, como noticiou o Cointelegraph Brasil, a autoridade financeira de Portugal estabeleceu que o câmbio e a remuneração por mineração de criptomoedas não estão sujeitos ao Imposto sobre o Valor Agregado (IVA).