'O Bitcoin estará em todas as carteiras de investidores institucionais', diz Pompliano

O investidor americano e cofundador da Morgan Creek Digital Assets, Anthony Pompliano, diz que o Bitcoin vai acabar na carteira de todos os investidores institucionais.

Em entrevista à CNBC em 20 de agosto, Pompliano disse que, a cada semana, mais infraestrutura está sendo construída em torno do Bitcoin (BTC) e dos mercados de cripto mais amplamente.

"Estamos em um ponto de inflexão"

Ao apresentar suas perspectivas otimistas para o Bitcoin, Pompliano destacou os desdobramentos recentes, como a série de quebra de recordes da taxa de hash da moeda neste verão, que aponta para melhorias contínuas na segurança e no suporte da rede.

Ele também fez um balanço da recente da aprovação dos reguladores da tão esperada plataforma para futuros de Bitcoin liquidados fisicamente da Intercontinental Exchange, operadora da Bolsa de Valores de Nova York. À luz de tudo isso, Pompliano argumentou:

"Quanto mais infraestrutura for construída em torno dele, mais provável é que ele nunca morra [...] estamos em um ponto de inflexão agora que mostra que o Bitcoin veio para ficar. Ele vai acabar aparecendo na carteira de todos os investidores institucionais."

Possíveis contratempos no curto prazo para o preço do Bitcoin

Pompliano previu recentemente que o Bitcoin atingirá US$ 100.000 até o final de 2021.

Quando Joe Kernen, apresentador da CNBC, desafiou o investidor em sua perspectiva otimista, Pompliano identificou vários fatores que poderiam - no curto prazo - suprimir temporariamente o preço do ativo.

Estes incluem a regulação arrogante que, reconheceu ele, poderia inicialmente assustar os investidores.

Segundo - apesar da saúde dos fundamentos da rede - o número de pessoas que possuem o Bitcoin ainda representa uma porcentagem muito pequena da população global, com muitos que ainda não entendem o que é ou como funciona.

Pompliano observou ainda que o ativo continua relativamente difícil de comprar e que esse atrito deve ser superado para que a moeda atinja seu verdadeiro potencial.

Conforme relatado à época, a previsão de US$ 100.000 da Pompliano foi baseada em sua antecipação do impacto do halving do Bitcoin - quando as recompensas da mineração serão reduzidas pela metade, aumentando assim a escassez - em maio de 2020.

Ele também citou a crescente legitimação do espaço cripto, o influxo de capital institucional, o volume recorde de transações e um clima de instabilidade global que promove o reconhecimento do Bitcoin como um ativo de refúgio seguro.

Pompliano também disse recentemente que não considera seu movimento de investir 50% de sua fortuna em Bitcoin como sendo excessivamente arriscado.