Pesquisa da IBM diz que 96% dos brasileiros não confia na proteção de informações pessoais por empresas e organizações

Uma pesquisa encomendada pela IBM sobre a privacidade em 11 países do mundo revelou que 96% dos brasileiros entrevistados acredita que as organizações devem fazer mais para proteger suas informações pessoais. A informação é do portal Rádio Geek.

Segundo o texto, 96% dos consumidores do Brasil acreditam que os esforços de segurança da informação das organizações são insuficientes, e 6 em cada 10 entrevistados relataram que já sofreram com vazamento de dados ou conhecem vítimas deste tipo de situação.

Quanto à privacidade, não existe preocupação apenas com a proteção, mas também com a gestão dos dados. 5 em cada 10 consumidores acreditam que suas informações são compartilhadas sem autorização. 81% dos brasileiros ainda diz que não tem controle sobre as informações pessoais usadas por empresas.

O líder de cibersegurança da IBM Brasil, João Rocha, diz na matéria que as organizações precisam assumir sua responsabilidade sobre os dados de usuários, especialmente com a Lei Geral de Proteção de Dados:

“Temos à nossa disposição novas tecnologias que, por meio dos dados, podem impulsionar a inovação, como Inteligência Artificial, Cloud e Blockchain. No entanto, empresas que coletam, armazenam, gerenciam ou processam dados têm a obrigação de tratá-los com responsabilidade e a LGPD assegurará isso. Por isso, é importante que as organizações comecem a se preparar o quanto antes e concentrem seus esforços na segurança e privacidade.”

De fato, a tecnologia blockchain tem sido usada como exemplo para a aplicação da LGPD. O Cointelegraph Brasil tratou melhor sobre como a blockchain pode contribuir para a aplicação da Lei Geral de Proteção de Dados em um artigo especial publicado em fevereiro de 2019.

Continue lendo: