CFO do PayPal diz que comerciantes não estão interessados na cripto devido à volatilidade

O CFO do PayPal, John Rainey, disse em entrevista à CNBC em 16 de maio, que a empresa não vê muito interesse em moedas digitais porque a volatilidade dos preços ameaça a viabilidade dos negócios de seus comerciantes.

O serviço de pagamento centralizado PayPal foi pioneiro na aceitação de criptomoedas. Os comerciantes poderiam optar por aceitar Bitcoin (BTC) na plataforma já em 2014, quando o BTC valia cerca de US $ 400. Hoje, Rainey afirmou que o PayPal não vê muito interesse em moedas digitais de seus comerciantes no momento, pois a natureza volátil das criptomoedas pode causar perdas contingenciais, explicando:

"Se você é um comerciante e tem, digamos, uma margem de 10 por cento em um produto que vende e aceita Bitcoin, por exemplo, e no dia seguinte ele se move 15 por cento, você está perdendo naquela transação Você poderia ter algo que agrade aos consumidores, mas se os comerciantes não aceitarem isso, é de pouco valor. Agora, não vemos muito interesse de nossos comerciantes."

"Mas se é algo que se estabiliza no futuro e é uma moeda melhor, então certamente vamos apoiá-la", acrescentou.

A última declaração apoia a patente do PayPal arquivada em março, que visa acelerar os tempos de transação de criptomoeda. Se a tecnologia puder ser implementada em larga escala comercial, ela poderá permitir o processamento instantâneo de pagamentos com criptomoedas entre comerciantes e compradores, eliminando grandes taxas de transação e longos períodos de verificação.

O PayPal, que foi lançado em 1998, tem 237 milhões de contas cadastradas, com um volume de pagamentos de US $ 132 bilhões no primeiro trimestre de 2018, mais de US $ 30 bilhões desde o primeiro trimestre de 2017.

Hoje, o CEO da Square, Jack Dorsey, expressou otimismo em relação à adoção da moeda digital em escala global. Na conferência Consensus, Dorsey compartilhou sua visão de que as criptomoedas são o futuro de um meio legítimo de pagamento global, que reafirma seus comentários anteriores de que o Bitcoin se tornará a "moeda única" do mundo dentro de uma década.