PayPal apresentou uma patente para acelerar os pagamentos em cripto, desenvolvedor do Bitcoin alega que ela já existe.

As visões e opiniões aqui expressas são apenas as do autor e não refletem necessariamente as opiniões da Cointelegraph.com.

O PayPal apresentou uma patente para acelerar o tempo de transação de criptomoedas, eliminando o tempo de verificação dos pagamentos. Um especialista de Bitcoin alega que isso já é possível através das tecnologias existentes na indústria de criptomoedas.

Em 5 de março de 2018, a Cointelegraph informou que o PayPal apresentou uma patente com o Escritório de Patentes e Marcas dos EUA (USPTO) para uma tecnologia cujo objetivo é acelerar os pagamentos em criptomoedas através de uso de carteiras secundárias.

Basicamente, o PayPal queria otimizar o processo de liquidação de pagamentos de criptomoedas entre os comerciantes e os compradores, em plataformas de varejo ou de comércio eletrônico. As carteiras secundárias de usuários, conforme descrito na patente oficial, permitiriam que as chaves privadas únicas dos compradores e dos vendedores fossem transferidas nos bastidores, para impedir que todas as transações fossem incluídas em blocos e transmitidas para o Blockchain público.

A patente enfatizou fortemente que o sistema de verificação de transações, inclusive os pagamentos em blocos, limitou o potencial de criptomoedas, como por exemplo o Bitcoin.

"Para ter certeza de que a transação em Bitcoin resultará numa transferência para o beneficiário, o beneficiário deve aguardar até que o processo de mineração confirme a transação antes de transferir as mercadorias ou os serviços para o pagador. Em muitas situações de transação, esperar 10 minutos será demais para o pagador ou para o beneficiário, e eles vão preferir realizar a transação usando os métodos de pagamento tradicionais em vez de moeda virtual. Esse tipo de problemas diminuíram a adoção de moedas virtuais, apesar das suas vantagens ", diz a patente.

Desenvolvedor do Bitcoin Peter Todd responde

Peter Todd, um desenvolvedor do Bitcoin e consultor prático sobre criptomoedas, declarou que o PayPal está tentando patentear uma tecnologia que já existe na indústria de criptomoedas, desenvolvida pela Opendime.

Parece que o PayPal está tentando patentear @OPENDIME

- Peter Todd (@peterktodd), 5 de março, 2018

Criada em 2016 por um antigo mercado Bitcoin Coinkite, a Opendime é uma carteira de hardware de Bitcoin  com assinatura múltipla de nível bancário. Ela permite transferir o Bitcoin com chaves privadas internas, com objetivo de permitir que os usuários usem o Bitcoin como dinheiro fiduciário, como por exemplo o dólar americano.

A Opendime é estruturalmente diferente de outras carteiras de hardware como a Trezor e a Ledger, que podem ser usadas várias vezes. Opendime é uma pendrive USB que só pode ser usada uma vez, como um porquinho. O pendrive deve ser destruído para usar os fundos armazenados nele, permitindo que ele seja usado como dinheiro em espécie.

A tecnologia patenteada pelo PayPal é semelhante com a da Opedime em que as chaves privadas são trocadas nos bastidores off-chain, de forma instantânea. Como explica a equipe da Opendime, "como colocamos as chaves privadas numa forma física em que você pode confiar, é possível simplesmente transferir as unidades da Opendime para transferir o dinheiro. Não há quantidades de Bitcoin pré-definidas com a Opendime. Armazene quanto mais ou quanto menos você quiser."

O processo de transferência de pagamentos de Bitcoin com a Opendime é semelhante ao PayPal. A tecnologia do PayPal incentiva cada usuário a transferir uma carteira inteira ou uma chave privada associada com uma quantidade de criptomoeda predefinida, conforme explica a patente:

"Os sistemas e os métodos dessa divulgação praticamente eliminam a quantidade de tempo que o beneficiário deve esperar para ter certeza de que receberá um pagamento em moeda virtual numa transação de moeda virtual, transferindo as chaves privadas para o beneficiário que estão incluídas em carteiras de moeda virtual que são associadas às montantes predefinidas de moeda virtual que equivalem a um valor de pagamento identificado na transação de moeda virtual ".

A tecnologia do PayPal pode otimizar os pagamentos de criptomoedas?

Se a tecnologia do PayPal pode ser implementada numa grande escala comercial, ela poderia permitir que os pagamentos de criptomoeda entre os comerciantes e os compradores fossem feitas instantaneamente e off-chain, eliminando grandes taxas de transação e, o mais importante, os períodos de verificação longos.

Recentemente, a principal plataforma de reservas de hotéis da Coréia do Sul, a Yeogieottae, fez parceria com a Bithumb, a maior casa de câmbio do país, para aceitar pagamentos em criptomoeda. No Japão, os maiores varejistas do país, como a operadora de uma rede de hotéis Capsule, a companhia aérea Peach, e a varejista eletrônica Bic Camera, aceitam pagamentos em Bitcoin já um bom tempo.

A baixa taxa do PayPal e o sistema instantâneo de processamento de pagamento de criptomoedas poderia permitir que os varejistas processem os pagamentos para os usuários sem precisar esperar horas para a verificação.

Mas, um problema pode ocorrer no processo de transferência de chaves privadas, se essa liquidação ocorrer off-chain, de forma centralizada. A patente do PayPal explicitamente explicou que poderia confiar num dispositivo prestador de serviços de pagamento para realizar o processo de liquidação de pagamentos, o que poderia levar a um sistema centralizado que supervisiona a transferência de chaves privadas.

"Num exemplo específico, um fornecedor de serviços de pagamento, como, por exemplo, o PayPal, Inc. de San Jose, Califórnia, pode usar um dispositivo de fornecedor de serviços de pagamento para executar o método 100 [Método de transferência de chaves privadas do PayPal - Cointelegraph] e em algumas concretizações podem operar em cooperação com um ou mais outros fornecedores de sistema (através de seus dispositivos provedores de sistema) e/ou usuários (por meio de seus dispositivos de usuário) para executar o método 100 discutido abaixo ".

Na semana passada, o apresentador de podcasts, focado na tecnologia, Owen Williams  revelou as descobertas do GDPR, que revelou que o PayPal compartilhava dados financeiros sensíveis de seus clientes com mais de 600 entidades.

Graças a GDPR, agora sabemos com quem o PayPal compartilha os dados (600+ entidades)

A centralização de pagamentos de criptomoedas e das chaves privadas pode levar a vulnerabilidades e venda de dados, a menos que a tecnologia do PayPal possa utilizar carteiras não privativas de custódia e permitir que os comerciantes e os usuários permaneçam no controle total de suas chaves privadas durante todo o processo.