Para matar o bitcoin não é preciso de computação quântica mas manter o preço abaixo de US$ 1 mil diz economista

Para o economista Alex Kruger para acabar com o Bitcoin não é preciso qualquer desenvolvimento da computação quântica ou repressão governamental, segundo ele, basta manter o preço do BTC abaixo de US$ 1 mil que a principal criptomoeda do mercado morrerá, declarou em 19 de novembro no twitter.

De acordo com sua postagem, se um governo puder suprimir o preço da criptomoeda, as pessoas acabarão perdendo o interesse. Isso pode significar o fim de um ativo que depende muito do interesse dos investidores de varejo para manter seu poder; Com o tempo, a supressão de preços sugará a paixão dos apoiadores mais exigentes do bitcoin, declar.

Parte dos argumentos de Kruger são os mesmo utilizados por defensores da 'espiral da morte' que seria uma sucessão de movimentos no preço que, atrelados ao processo de mineração, levaria o Bitcoin a derrota total. Nesta teoria, na medida em que o preço do Bitcoin cai isso inviabiliza a mineração da criptomoeda que também vai perdendo operadores e assim por diante em uma espiral.

Contudo a teoria ignora o fato de que o Bitcoin esteve a maioria de sua vida abaixo de US$ 1 mil e que assim que máquinas de mineração são desligadas a dificuldade de mineração também é reduzida e, com isso, o 'custo' de mineração também é reduzido pois a dificuldade para encontrar um bloco é menor.

Embora Kruger possa estar errado em determinar um modo de matar o Bitcoin o preço da principal criptomoeda do mercado tem encontrado dificuldade em manter seu valor, apontado para uma possível queda abaixo até mesmo de US$ 7 mil.

À medida que o par BTC/USD gira em torno do suporte de US$ 8.000, os analistas recentemente se tornaram mais pessimistas em sua perspectiva de curto prazo, comparando a ação atual com a que precedeu os mínimos de US$ 3.100 em 2018.

Para Woo e Vays, o ciclo deste ano pode ter uma queda de cerca de 71% em relação aos máximos de US$ 12.800 vistos há vários meses. Isso colocaria o Bitcoin em US$ 4.500 antes do halving, algo que é um consenso que favorecerá um ponto de virada otimista para o preço da cripto.

Como noticiou o Cointelegraph, o popular modelo Stock-to-Flow para mapear o preço do Bitcoin exige um valor médio do par BTC/USD de US$ 8.300 até maio. Depois disso, a trajetória está aberta para um salto gigante de US$ 100.000 até o final de 2021.

Confira mais notícias