Pânico: Bitcoin cai mais de 20% na semana e recua para US$ 6.500; analistas já falam em queda a US$ 2.500

Em mais uma forte queda o preço do Bitcoin chegou a apresentar desvalorização acima de 8% chegando a ser cotado a US$ 6.500 na madrugada de hoje, 25 de novembro. Contudo, no momento da escrita o valor apresentou uma leve recuperação passando para US$ 6.748, porém ainda registrando cerca de 7% de queda.

A desvalorização acendeu o alerta vermelho entre traders e analistas gráficos que apontam a grande dificuldade do BTC em 'segurar' seu valor. Especialista começam a ver similaridade com 2017 quando o Bitcoin chegou a quase US$ 20 mil mas, sem capacidade de sustentar o rali de alta, iniciou um movimento de queda até US$ 3 mil instituindo o Bear Market em 2018.

A queda atual marca quase mais de 20% de retração no valor do BTC em relação ao mesmo ponto da semana passada, enquanto no mês, os investidores tiveram um encolhimento de 30% em suas ações.

A desvalorização atual, segundo analistas, estaria ligada a uma suposta 'segunda onda' de perseguição ao Bitcoin na China, contudo, apesar do Governo Chinês ter anunciado que está em busca de 'fechar empresas que operam ilegalmente no país' isso não significou uma nova proibição na segunda maior economia do mundo.

Sem um fundamento específico para explicar esta baixa a semana foi de notícias boas para o BTC. A taxa de hash subiu para novos níveis históricos, assim como os volumes de futuros de Bitcoin da Bakkt que dispararam para 2728 contratos futuros,  uma alta 30% maior que a alta anterior. Juntamente com os volumes, o interesse em aberto também aumentou 29% em relação a o dia anterior.

Mas mesmo assim o Bitcoin não conseguiu manter seu valor e, segundo o analista do Cointelegraph, Rakesh Upadhyay, os bears pode estar no comando e desta forma é provável que ocorra uma queda de 78,60% no nível de retração de Fibonacci, no valor de US$ 5.533,90.

Como o Cointelegraph relatou, os movimentos atuais são essenciais para definir se os otimistas têm chance de manter sua influência. Caso não consigam dar essa demonstração, pouco resta no caminho do Bitcoin para ir tão baixo quanto US$ 2.500.

Os comentaristas estarão atentos aos US$ 6.500 em particular, pois esse número representa o ponto de corte assumido para a lucratividade do minerador. Anteriormente, analistas alegavam que os mineradores defenderiam esse preço caso o Bitcoin caísse para algo em torno desse valor.

Já Keith Wareing, destaca que "otempo parece de baixa e o Bitcoin tem muito pouco impedindo-o de descer para o intervalo entre US$ 2.500 e US$ 3.500"

Confira mais notícias