Fundador da Overstock diz que blockchain pode tornar o governo "incapaz de ser subornado"

O fundador e CEO da gigante do varejo Overstock.com, Patrick Byrne, disse que a blockchain pode tornar o governo “supereficiente e incapaz de ser subornado”, em entrevista ao MarketWatch publicada em 12 de fevereiro.

Byrne teria dito que os serviços do governo chegaram a um ponto de virada para uma mudança fundamental em sua estrutura, e a tecnologia blockchain, em sua opinião, será a solução ideal.

Byrne propôs “construir o governo como um serviço, um conjunto de aplicações e empresas que, entre elas, podem levar a blockchain a diferentes serviços que os governos oferecem”, o que acabará por “tornar o governo supereficiente, barato e incapaz de ser subornado”. Ele afirmou:

“Poderíamos entrar na Venezuela com seis laptops e criar não apenas uma sociedade funcional, mas indiscutivelmente uma com um dos sistemas governamentais mais avançados do mundo. Poderíamos trazer um banco central para eles no laptop. Todos na Venezuela baixam um aplicativo gratuito e, de repente, você tem o sistema monetário mais avançado do planeta”.

Byrne teria revelado que espera concluir um contrato com mais de uma nação soberana no futuro próximo para começar a reformar radicalmente seus serviços públicos.

Em janeiro, a Overstock.com anunciou que pagará parte de seus impostos comerciais no estado de Ohio usando Bitcoin (BTC) através da recém-lançada plataforma de contribuintes de criptomoeda OhioCrypto.com. Byrne disse então que a adoção de criptomoedas e outras tecnologias emergentes por parte dos governo, acompanhada de legislação amigável, é "a melhor maneira de garantir que os EUA não percam nosso lugar na vanguarda da economia global em constante avanço".

Recentemente, o novo projeto de cripto da Venezuela, que estabelece uma estrutura legal para o setor, entrou oficialmente em vigor. A legislação também introduziu o conceito de um ativo cripto soberano - qualquer moeda emitida na Venezuela e autorizada pelo governo - e estabeleceu licenças obrigatórias para entidades de mineração e exchanges cripto e introduz multas por atividades não licenciadas.

Em dezembro, Kenneth Rogoff, professor de economia e política pública da Universidade de Harvard, disse que os governos em todo o mundo podem "regular e se apropriar" das inovações de novas classes de ativos, como criptomoeda, pois a regulamentação global coorinatinada acabaria por "eliminar sistemas construídos privadamente:"

“O jeito certo de pensar nas moedas de cripto é como se elas fossem bilhetes de loteria que valem a pena em um futuro distópico, onde elas são usadas ​​em estados desonestos e falidos, ou talvez em países em que os cidadãos já perderam toda a aparência de privacidade. Não é coincidência que a disfuncional Venezuela seja a primeira emissora de uma criptomoeda apoiada pelo estado (o “petro”).”