Pesquisa diz que mais de 80% da oferta total de ETH é detida por 7.572 endereços

Mais de 80% do total da oferta circulante do Ethereum (ETH) está em 7.572 endereços, afirma um relatório divulgado pela Delphi Digital, empresa de pesquisa de ativos digitais, em 7 de março.

Mais precisamente, os dados contidos no relatório afirmam que mais de 80% da oferta total de moedas ETH são mantidos por endereços com um saldo superior a 1.000 ETH. O número desses endereços totaliza 7.572. A pesquisa divide o número total de endereços por volume de ETH que eles contêm, afirmando que 6.490 endereços possuem entre 1.000 e 10.000 ETH, 923 deles possuem entre 10.000 e 100.000 ETH, 155 entre 100.000 e 1.000.000 ETH e somente quatro entre 1.000.000 e 10.000.000 de ETH.

No mesmo documento, a empresa também alega que o preço do ETH caiu em média 19% após cada um dos últimos cinco hard forks, nos 30 dias seguintes.

Ainda assim, o fork mais recente das atualizações Constantinople e St. Petersburg no mês passado na verdade viu o preço do ETH cair abaixo de 1%, o que o relatório sugere em parte devido à queda nas recompensas de 5 ETH para 3 ETH.

Os pesquisadores também apontaram que, a partir de 3 de março, mais de 2,3 milhões de Ethereum (cerca de 2% da oferta total) estavam presentes em aplicativos financeiros descentralizados.

A maior parte do ETH que está sendo usado em aplicativos financeiros descentralizados - supostamente 98% - está em contratos inteligentes MakerDAO, que permitem a criação e a destruição da stablecoin descentralizada Dai (DAI) do fabricante. O segundo aplicativo financeiro descentralizado com o ETH mais apostado é o composto de plataforma de empréstimo descentralizado, que continha aproximadamente 28.500 Ethereum em 3 de março.

Por último, o relatório também levanta preocupações sobre os riscos técnicos que o Ethereum enfrenta no futuro próximo. Em particular, os documentos apontam para a suposta centralização do Infura, o braço de infraestrutura-como-serviço da empresa de desenvolvimento ConsenSys, que é focada no Ethereum. O Infura permite que os desenvolvedores do DApp implantem seus DApps sem hospedar seu próprio nó completo.

No entanto, usando o Infura, argumenta o relatório, os desenvolvedores contam com infraestrutura totalmente operada pela ConsenSys e hospedada pela Amazon Web Services, que cria um único ponto de falha que a descentralização deve evitar.

A autora do relatório, a Delphi Digital, posiciona-se como uma empresa com o objetivo de produzir conteúdo imparcial sobre ativos digitais e tecnologia de distributed ledger (DLT) e fornecer serviços de análise para clientes institucionais. A empresa também conta com o fundador da Morgan Creek Digital Assets, Anthony Pompliano, como membro de seu conselho de diretores.

Como o Cointelegraph reportou em dezembro do ano passado, Pompliano previu que o Bitcoin (BTC) ainda estava “no menor patamar” no curto prazo antes de chegar ao fundo, apesar da alta para mais de US$ 4 mil que aconteceu à época. Um mês antes disso, ele também definiu o Bitcoin como o ativo de melhor desempenho do mundo nos últimos dez anos.

Outro relatório recente da Ethereum, desta vez feito pela empresa de gerenciamento de ativos cripto Electric Capital, afirmou que a Ethereum tem a maioria dos desenvolvedores trabalhando em seu protocolo-base de todas as criptomoedas, sem contar os desenvolvedores de projetos comunitários.