Oficial: Binance Chain e BNB são rastreáveis via CipherTrace

A empresa americana de segurança CipherTrace fornecerá controles anti-lavagem de dinheiro (AML) para a Binance Chain e seu ativo nativo, Binance Coin (BNB).

CipherTrace vai aumentar as verificações AML na Binance Chain

A Binance Chain, uma blockchain pública da Binance, principal exchange de criptomoedas e a blockchain subjacente da Binance, DEX, vai melhorar seu procedimento de AML por meio do CipherTrace, anunciou a Binance, em 5 de novembro.

A CipherTrace fornecerá à Binance Chain controles AML de nível institucional, para aumentar a adoção da blockchain da Binance.

Dentro da iniciativa, a CipherTrace permitirá que desenvolvedores, investidores e reguladores globais acessem a blockchain da Binance Chain, para descobrir dados, como endereços de alto risco. Além disso, a CipherTrace ajudará essas entidades a definir vários controles para proteger aplicativos descentralizados, exchanges ou outros aplicativos baseados em criptografia, escreveu a Binance em seu blog.

Os dados do cliente não serão compartilhados, afirma o COO da Binance

Samuel Lim, diretor de compliance da Binance, afirmou que a iniciativa não afetará a segurança e a proteção de dados dos usuários da Binance. Em declarações ao Cointelegraph, o executivo observou que, como resultado da nova prática de AML, as informações do cliente não serão compartilhadas com terceiros, acrescentando:

"Os usuários podem ter certeza de que a Binance manterá seus altos padrões de segurança e proteção de dados."

Lim também negou especificar ao Cointelegraph se essa medida afetaria a listagem de moedas de privacidade, como Monero (XMR), dizendo que a Binance não comenta tokens específicos e mantém a mais alta integridade em seu processo de listagem.

No anúncio, Lim considerou a mudança como uma “grande vitória para a Binance Chain”, observando que os usuários da Binance poderão em breve esperar mais suporte em todo o ecossistema.

Enquanto isso, críticos na internet descreveram os riscos de divulgação de dados de terceiros, associados às práticas de AML de empresas como a CipherTrace e a Chainalysis. O usuário do Twitter, theonevortex, escreveu:

“Ansioso para empresas como @ciphertrace e @chainalysis serem hackeadas. Essas pessoas vendem seus dados para agências e governos de três letras SEM sua permissão.”

A CipherTrace recentemente expandiu sua plataforma para suportar 700 tokens

O suporte do CipherTrace ao BNB e à Binance Chain segue a recente expansão, para até 700 criptomoedas, dos serviços da CipherTrace, incluindo Ether (ETH), Tether (USDT), Bitcoin Cash (BCH) e Litecoin (LTC) em 15 de outubro. Alegando que a CipherTrace expandiu para suportar 87% do volume transacional das 100 principais criptos, a empresa negou especificar quais criptomoedas não serão suportadas na plataforma até o momento.

Em 21 de outubro, o CEO da CipherTrace, David Jevans, argumentou que a regulamentação cripto dos reguladores globais, como os da Força-Tarefa de Ação Financeira, desencadeariam uma mudança da atividade criminosa do Bitcoin (BTC) para moedas de privacidade.