Oficial: Alipay proíbe todas as transações relacionadas ao Bitcoin

A Alipay, braço de pagamento digital da gigante chinesa de comércio eletrônico Alibaba, declarou que proibirá qualquer transação relacionada ao Bitcoin (BTC) ou outras criptomoedas.

Combate a jogadores ilícitos

Em 10 de outubro, a Alipay reafirmou sua postura anti cripto em uma thread no Twitter, elaborando que a empresa está monitorando de perto as transações para identificar comportamentos irregulares e garantir a conformidade com as regulamentações relevantes. A Alipay declarou:

"Se alguma transação for identificada como relacionada ao bitcoin ou outras moedas virtuais, o @Alipay vai interromper imediatamente os serviços de pagamentos."

Esse movimento ocorre em meio a vários relatórios de que o Alipay está sendo usado para transações de Bitcoin, explicou a empresa.

Binance usa Alipay para comprar criptomoedas

Em 9 de outubro, a Binance confirmou no Twitter que começou a aceitar moedas fiduciárias por meio do serviço de pagamento online Alipay e do aplicativo de mensagens e pagamento móvel WeChat.

O CEO da Binance, Changpeng Zhao, também conhecido como CZ, esclareceu que a exchange não está trabalhando diretamente com o WeChat ou a Alipay, e os usuários ainda podem usá-los para transações ponto a ponto.

Este anúncio seguiu a implementação das negociações P2P da Binance para Bitcoin, Ether (ETH)) e Tether (USDT), contra o yuan chinês (CNY), conforme relatado pelo Cointelegraph.

Planos CBDC da China

Originalmente fundada na China em 2017, a Binance fez seu primeiro investimento estratégico na publicação especializada em cripto e blockchain, Mars Finance, em meados de setembro de 2019. Na época, a comunidade cripto estava dizendo que o Banco Popular da China tinha desenvolvido sua própria moeda digital do banco central (CBDC). Validando esse boato, o CEO da Circle afirmou que "ninguém no mundo estava mais perto de lançar CBDCs do que a China".

No entanto, no final de setembro, o Banco Popular da China quebrou essas expectativas, alegando não ter uma data de lançamento específica para a CBDC, negando que o país esteja pronto para lançar seu novo ativo financeiro.