Ocasio-Cortez critica o dinheiro controlado pelas empresas em audiência sobre o Libra no Congresso

A congressista de Nova York, Alexandria Ocasio-Cortez, discursou sobre o controle da criptomoeda Libra do Facebook na audiência de hoje do Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos Estados Unidos.

De acordo com uma gravação do evento, fornecida pela C-Span em 17 de julho, Ocasio-Cortez dirigiu-se ao CEO da carteira da Calibra, David Marcus, perguntando: “[Facebook] quer estabelecer uma moeda e agir através de sua carteira como - no mínimo - um processador de pagamento. Por que essas atividades devem ser consolidadas em uma corporação? ”

Quanto à Associação Libra, Ocasio-Cortez perguntou: “Eles [os membros] foram democraticamente eleitos?” Depois que Marcus respondeu que não era, mas era governado pelos padrões de associação, Ocasio-Cortez resumiu Libra como “moeda controlada”. por uma coalizão não-democraticamente selecionada de grandes corporações”. 

A partir da questão do controle corporativo o representante se voltou para uma questão de política monetária dizendo:

“Você declarou ontem em frente ao Comitê do Senado que estaria aberto a aceitar 100% do seu pagamento em Libra. Na história deste país, há um termo para ser pago em uma moeda controlada pela corporação… Chama-se 'scrip'. A ideia de que seu pagamento poderia ser controlado por uma corporação em vez de um governo soberano. Você acha que há algum risco aqui? Vimos desde o scrip, até as questões de como o Facebook lidou com nossas eleições, estamos vendo uma desestabilização em nossos bens públicos ”.

O script de empresas tem sido ilegal como uma forma de pagamento nos EUA por quase um século, pois foram divulgados como “meios de pagamento inadequados” na Fair Labor Standards Act de 1938. 

Ocasio-Cortez também questionou a opinião de Marcus sobre se o Libra, assim como a moeda em geral, deveria ser um bem público. Marcus disse que "a moeda soberana deve permanecer soberana", e afirmou que não era seu lugar determinar se Libra deveria ser um bem público.

Como relatado anteriormente pela Cointelegraph, Jamie Dimon, CEO do JPMorgan Chase, afirmou que o Libra não será uma ameaça para o gigante financeiro no curto prazol.