Governo de Nova Iorque prende empresário por alegada fraude de ICO

A procuradora do Escritório de Advogados do Estado de Nova Iorque nos EUA anunciou que o empresário de Nova Iorque Maksim Zaslavskiy foi preso em 1º de novembro de 2017, devido à conspiração de fraude de títulos em relação a duas ofertas iniciais de moedas (ICO).

Zaslavskiy foi recentemente acusado pela Comissão de Títulos e Câmbio dos EUA (SEC) de fraudar investidores em duas ICOs.

De acordo com a procuradora em exercicio dos EUA Bridget Rohde, Zaslavskiy e seus comparsas foram capazes de atrair investidores prometendo retornos astronômicos em ICOs, embora soubessem que nenhum imóvel ou diamantes realmente estavam apoiando os investimentos.

"Como alegado, Zaslavskiy e seus associados atraíram os investidores através de retornos promissores usando novas ICOs, embora Zaslavskiy soubesse que nenhum imóvel ou diamantes realmente estavam apoiando os investimentos".

Com base na cobrança, uma ICO foi comercializado como sendo suportado por ativos imobiliários, enquanto a outra ICO foi reivindicada como apoiada por diamantes.

As acusações da SEC contra Zaslavskiy

No final de setembro de 2017, a SEC apresentou acusações contra Zaslavskiy e duas empresas relacionadas, alegando que o empresário deturpou o valor que ele gerou das duas ICO. Na época a SEC também conseguiu garantir uma ordem judicial para congelar os ativos da Zaslavskiy e as duas empresas.

Os promotores no caso alegaram ainda que os ativos que alegadamente suportavamm a venda de token não existiam. As duas empresas envolvidas no caso são o Diamond Reserve Club (DRC) World e a Fundação REcoin Group.

O caso está sendo tratado pela Seção de Fraude de Negócios e de Valores Mobiliários do Escritório, com a procuradora assistente Julia Nestor, nomeada responsável pela acusação. Se for declarado culpado, Zaslavskiy pode pegar até cinco anos de prisão, bem como uma multa.