Novo estudo revela países com mais exchanges de criptomoedas registradas

O Reino Unido, os Estados Unidos, Hong Kong e Singapura têm o maior número de trocas de moeda digital registradas, de acordo com dados da plataforma de análise de blockchain Crystal da Bitfury.

A Crystal publicou seu "Relatório sobre fluxos internacionais de Bitcoin 2013-2019" em 9 de setembro, no qual fornece informações sobre operações de criptomoeda e transações de Bitcoin (BTC) em todo o mundo entre 1 de janeiro de 2013 e 30 de junho de 2019.

Reino Unido e EUA lideram a classificação

As descobertas mostram que o maior número de trocas de criptografia registradas está no Reino Unido, EUA, Hong Kong e Singapura. Países como Argentina, Índia, México, RússiaIndonésia registram o menor número de trocas registradas.

De acordo com o relatório, quase 10% de todas as trocas consideradas na pesquisa não têm países de registro.

Quanto às transações de Bitcoin, em 2013, 96% de todo Bitcoin transferido entre trocas foi enviado por trocas do grupo "G20 & Other" (mostrado abaixo), enquanto em 2018 o número caiu para 70%. O relatório afirma ainda:

“Em 2018, o volume total de bitcoin transferido diretamente entre as trocas foi de quase US$ 92,6 bilhões. Um total de US$ 65,1 bilhões foi transferido por bolsas dos países do G20, Hong Kong e Singapura.”

Registered exchanges in “G20 & Other” group

Trocas registradas no grupo "G20 e Outros". Fonte: Crystal

Impacto da regulamentação das criptomoedas

Como relatado anteriormente, os líderes do G20 reafirmaram sua posição anterior em relação às criptomoedas em uma declaração após a Cúpula do G20 em Osaka, em 29 de junho. Os líderes do G20 afirmaram que as criptomoedas atualmente não constituem uma ameaça à estabilidade monetária e que a inovação tecnológica pode trazer benefícios significativos para a economia.

Embora o Reino Unido seja considerado um líder global quando se trata de adoção e inovação de criptomoedas, o ambiente ainda é confuso e complicado para trocas, plataformas e outros negócios relacionados, já que a indústria foi negligenciada na tentativa de proteger os consumidores.