Novo ETF proposto inclui os futuros do Bitcoin junto a títulos de crédito

A Reality Shares ETF Trust - uma unidade da empresa fintech e cripto, Blockforce Capital, apresentou uma proposta para um fundo negociado em exchange (ETF) que investiria em uma carteira que inclui tanto instrumentos de títulos de crédito quanto futuros Bitcoins (BTC). O registro do ETF foi submetido à Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) em 11 de fevereiro.

Os ETFs são títulos que rastreiam uma cesta de ativos proporcionalmente representados nas ações do fundo. Eles são vistos por alguns como um "holy grail" potencial que anunciaria a adoção generalizada de criptomoedas como um instrumento de investimento regulado e passivo.

O fundo proposto, a ser listado na NYSE, foi projetado para “proporcionar exposição ao investimento em moedas globais, tanto fiduciárias quanto virtuais, que foram amplamente adotadas para uso (por exemplo, como reserva de valor, remessa internacional, comércio de exchange) em todo o mundo”.

Em relação aos futuros do BTC, o fundo investiria inicialmente - se bem-sucedido - por meio de uma subsidiária integral das Ilhas Cayman nos futuros BTC liquidados em dinheiro atualmente negociados na CBOE Futures Exchange (CFE) e na Chicago Mercantile Exchange (CME).

O depósito informa que as posições futuras CFE e CME BTC serão, assim, avaliadas "pelos seus respectivos valores de liquidação financeira futura, conforme publicado no [...] fechamento de cada dia de negociação". Também propõe que o fundo possa evoluir para investir nos futuros do BTC que são negociados em outras exchanges, mas enfatiza que o fundo “não investirá diretamente em Bitcoin”. A matéria acrescenta:

“O Fundo pode ganhar a maior parte de sua exposição ao futuro do Bitcoin através de seu investimento na Subsidiária, que investe no futuro do Bitcoin. Na medida em que o fundo investe diretamente em tais instrumentos, procurará restringir o seu rendimento de tais instrumentos a um máximo de 10 por cento do seu rendimento bruto [...] para cumprir certos testes de qualificação necessários para que o fundo se qualifique como uma empresa de investimentos regulamentada.”

Além dos futuros do Bitcoin, o fundo proposto também alocará investimentos maiores em títuçlos de crédito de curto prazo e alta qualidade, mais tradicionais, listados para negociação nas bolsas norte-americanas e denominados em dólares dos EUA, euros, libras esterlinas, ienes japoneses e francos suíços.”

Como relatado anteriormente, um ETF separado relacionado ao Bitcoin pela firma de investimentos VanEck e a empresa de serviços financeiros SolidX - para listar na BZX Equity Exchange da CBOE - está atualmente fazendo uma rota indireta através de vários arquivamentos junto à SEC.

Com múltiplos atores - incluindo os gêmeos Winklevoss - quer falhando ou continuando a aguardar a aprovação da SEC de seus ETFs relacionados ao BTC, o empresário cripto e analista da CNBC, Brian Kelly, afirmou recentemente que “não há chance” para um ETF cripto obter o sinal verde regulatório em 2019.