Nova Jersey acusa empresa de blockchain de venda de títulos não registrados

O Estado de Nova Jersey alega que um mercado de aluguel online baseado em blockchain vendeu mais de US$ 400.000 em títulos não registrados.

Uma queixa arquivada em 17 de Julho acusa Pocketinns, Inc. e seu presidente Sarvajnya G. Mada da oferta e venda de cerca de US$ 410.000 de títulos não registrados na forma de uma criptomoeda apelidado de “PINNS Tokens.” Os Tokens foram vendidos através de uma oferta simbólica inicial entre Janeiro 15 e 31 de janeiro de 2018. Nem Pockettins nem Mada teriam sido registrados no Bureau of Securities do estado. 

Os réus alegadamente venderam tokens para 217 investidores em violação da Uniform Securities Law de Nova Jersey, em que apenas 11 investidores teriam fornecido documentação comprovando o seu estatuto de investidor acreditado. Mada e sua empresa planejaram trocar os tokens vendidos por Ether ( ETH ), que na época tinha um valor de cerca de US$ 728.

A denúncia alega que Pockettins pretendia arrecadar até US$ 46 milhões com a venda de 30 milhões de PINNS Tokens. Paul Rodríguez, diretor em exercício da Divisão de Assuntos do Consumidor, declarou:

“Ao não tomar medidas razoáveis ​​para verificar se os compradores eram investidores credenciados capazes de arcar com os riscos acrescidos associados a valores mobiliários não registrados, os réus violaram a lei e expuseram os investidores a perdas financeiras que poderiam ter sido devastadoras.”

A denúncia visa impedir a Pocketinns e Mada de vender títulos em Nova Jersey e avaliar as penalidades monetárias civis contra os réus por cada violação da Lei de Valores Mobiliários. Também procura exigir que eles paguem restituição aos investidores que participaram da oferta.

No início de julho, um tribunal do Texas ordenou a dois réus que pagassem US$ 400.000 por conduzirem um esquema fraudulento que arrecadava Bitcoin ( BTC ) de membros do público.