Fundador do Banco Neon declara que cartão vai morrer antes do dinheiro e lança sistema de pagamento só com CPF

Alan Chusid, um dos fundadores do banco Neon, declarou, em entrevista publicada em 23 de setembro pelo jornal Estado de São Paulo, que os cartões de débito e crédito vão morrer antes do dinheiro físico.

Segundo ele a 'morte' não será do dia para a noite, mas será gradativa e vai ocorrer de qualquer forma.

"Não vou falar que vai ser o dia para noite. Mas posso dizer que o cartão de crédito, como existe hoje, vai desaparecer muito antes do que o dinheiro em espécie. Tem muitos modelos, como o da Spin, que vão surgir para liquidar operações financeiras de forma mais eficiente. Os custos hoje são muito altos. As empresas de maquininhas de cartão hoje, em vez de se preocuparem em ganhar dinheiro, trabalham para reter os clientes", declarou.

A digitalização da economia tem sido apontada por especialistas como uma tendência irreversível e, com ela, novas formas de pagamento como Bitcoin, criptomoedas, QR Code, pagamentos instantâneos, entre outros, com ou sem o uso de blockchain, deve substituir os sistemas atuais.

Seguindo esta linha, Chusid lançou, segundo a reportagem, a Spin Pay, um sistema de pagamentos que permitirá que o consumidor, a partir do banco que já tem relacionamento, possa realizar compras no varejo físico e digital, sem precisar abrir uma nova conta ou baixar um app, tudo será feito diretamente pelo CPF. 

"Por exemplo, se sou cliente do Neon, e quero comprar uma camiseta em alguma loja, não vou precisar de um cartão de crédito ou de débito. A Spin será uma facilitadora de pagamentos. Se quero pagar com minha conta do Neon, vou informar meu CPF e a autorização será feita diretamente na conta (...) Se a pessoa for cliente de uma das instituições parceiras, poderá usar imediatamente, sem nenhum custo adicional. Mas já temos desenhado produto pensado para concorrer com o cartão de crédito", afirmou.

A funcionalidade não é destinada ao consumidor e sim aos bancos e processadores de pagamento e o empresário já esta em conversa com instituições para viabilizar a solução para mais usuários.

Como noticiou o Cointelegraph, o Banco Central do Brasil (Bacen), anunciou que o novo sistema de pagamentos instantâneos do Brasil, deve ser lançado oficialmente em novembro de 2020. A medida vai acabar com as transações de TED e DOC, consideradas "lentas e de alto custo" pelo Bacen. A proposta do Banco Central é permitir que os aplicativos das instituições financeiras realizem as transferências de valores usando apenas QR Code ou a lista de contatos do celular.

Toda a plataforma de pagamentos instantâneos do Bacen deve usar blockchain, embora a instituição não tenha confirmado esta informação