'Não invista mais do que 3% do seu portfólio em Bitcoin', diz Bettina, da Empiricus

Bettina Rudolph, analista e garota propaganda da Empirus, entrou esta semana em mais uma polêmica após declarar que alguém que aplica mais de 3% de seu capital em bitcoin é irresponsável. A declaração foi realizada em uma 'live' feita pela influencer.

Segundo a investidora, aplicar em BTC envolve um alto risco e que alocar quantidades significativas de seu portfólio em cripto é um erro. Além disso, segundo Bettina, a própria Empiricus não recomenda investimentos em criptomoedas acima de 3% do capital. Sobre investidores que, possivelmente, alocam 100% do capital em cripto a analista sugeriu que isso seria uma 'loucura' total.

A declaração gerou diversos comentários negativos contra Bettina que, no passado, virou meme por uma suposta 'escalada' de investimentos que teria feito a influencer investir menos de R$ 2 mil e lucrar mais de R$ 1 milhão. Declaração que recentemente, gerou um pedido público de desculpas da Empiricus.

De fato, tirando entusiastas mais 'fervorosos' nenhum especialista recomenda 100% de alocação de capital em criptomoedas, assim como não recomenda 100% de capital em qualquer companhia ou fundo específico. Baseado neste princípio é que são criados índices e ETFs, que buscam criar uma 'cesta' de opções para diminuir a volatilidade e o risco associado com a alocação de capital em uma única opção.

No caso de cripto, índices como HADAI, listado na Nasdaq, busca refletir uma cesta de criptomoedas para que fundos baseados no índice tenham certa 'proteção' contra a volatilidade do mercado.

O índice é revisado trimestralmente e hoje é composto por 13 criptos: bitcoin, com 75,69%; ethereum, 9,90%; ripple, 5,87%; bitcoin cash, 2,01%; litecoin, 1,79%; EOS, 1,46%; bitcoin SV, 0,76%; stellar, 0,61%; Tron, 0,54%; cardano, 0,53%; dash, 0,32%; ethereum classic, 0,27%; e Neo, 0,26%.

A Stratum, empresa cujo CEO é o brasileiro Rocelo Lopes, possui o Stratum Blue, que também é composto por uma cesta de criptomoedas buscando eliminar os riscos de se investir apenas em um ativo.

Nesta mesma linha, de diversificação de portfólio, mesmo grandes players da indústria de Bitcoin, como a Binance também recomendam que os investidores diversifiquem seu portfólio e não aloquem mais que 10% em criptomoedas.

Como noticiou o Cointelegraph, o Bitcoin (BTC) caiu abaixo dos US$ 9.000 pela primeira vez em quase uma semana em 31 de outubro, à medida que os rumores de uma correção se intensificaram entre os analistas.

Confira mais notícias