Marrocos planeja expandir acesso a serviços financeiros através de adoção fintech

O Marrocos está em busca de expandir acesso a serviços financeiros com a integração da tecnologia blockchain no setor financeiro.

Falando durante o evento Africa Blockchain Summit em Rabat, capital do Marrocos, o governador do banco central do país, Abdellatif Jouahri, disse que o Marrocos deve implementar tecnologia financeira para facilitar o acesso a serviços financeiros, informou o Morocco World News em 21 de novembro. A implementação fintech será parte de estratégia de inclusão financeira do país e, principalmente, visa cidadãos em situação de necessidade.

Chegando aos não bancarizados

Jouahri disse ainda que a aplicação das tecnologias financeiras, incluindo a tecnologia blockchain, ajudaria Marrocos a atingir o objetivo de fornecer a "todos os indivíduos e empresas um acesso justo a produtos e serviços financeiros formais [...] para promover a inclusão econômica e social". Jouahri disse:

"Blockchain é de longe a tecnologia mais disruptiva desta década."

Além disso, o banco central pretende criar modelos de baixo custo para levar serviços financeiros a cidadãos carentes e desenvolver condições favoráveis para transações e liquidação que não sejam em dinheiro.

Desenvolvimentos cripto e blockchain no Marrocos

O Marrocos já navegou nas águas das tecnologias descentralizadas recentemente; nesta primavera, o país colaborou com uma série de organizações internacionais para conduzir a primeira suposta liquidação transfronteiriça de títulos do mundo entre dois depositários centrais usando a blockchain Quartz.

Em setembro passado, surgiram as notícias de que o Marrocos iria construir uma fazenda de mineração cripto de 36 megawatts em parceria com a empresa de mineração de Bitcoin (BTC) americana Soluna. A iniciativa, conhecida como contrato de compra de energia, permitiria à empresa estabelecer uma base na região com a possibilidade de expandir as vendas além da fronteira nos próximos anos.