Organizadora brasileira de MMA vende naming rights de arena para fintech de IA e blockchain

A organizadora do Shooto Brasil, um dos principais eventos de MMA do Brasil, vendeu os direitos de nome sua arena no Rio de Janeiro para a empresa fintech norte-americana de IA e blockchain ViVi Holdings. 

A informação foi enviada em comunicado à imprensa e publicada pelo jornal carioca “Extra” no último dia 5 de abril. A assinatura ocorreu durante a última edição do Shooto Brasil deste ano, na última sexta-feira..

A ViVi Holdings é a empresa por trás da plataforma de pagamentos baseada em blockchain ViViPay, que é parceira do clube de futebol Corinthians e tem como um de seus acionistas o ex-jogador da seleção brasileira Ronaldinho Gaúcho. A empresa, segundo o comunicado, possui ainda os braços ViVi Tech e ViVi Mobile. 

O presidente da Shooto Brasil e treinador de MMA André Pederneiras é citado no texto, dizendo-se orgulhoso pelo reconhecimento “nacional e Internacionalmente por uma empresa como a ViVi Holdings”.

Segundo ele, a parceria impulsiona a Shooto e o MMA brasileiro para ser “parte integrante da estratégia de marketing de grandes empresas”. O comunicado também cita o presidente da ViVi Pay, Marco Scabia, que fala brevemente sobre a iniciativa.

“Estamos investindo em um dos esportes que os brasileiros mais gostam e assistem, e esperamos dessa forma poder contribuir com seu crescimento no país”.

A ViVi Arena substitui a Upper Arena, nome com que a arena que recebe as edições do Shooto Brasil recebia até a definição da parceria.

A parceria da ViVi Holdings com o Corinthians busca oferecer cartões de crédito oficiais do clube, com programa de fidelidade e de acúmulo de pontos para trocas por artigos. 

Como noticiou o Cointelegraph Brasil, o clube paulista foi mais um a fechar uma parceria para o lançamento de sua própria criptomoeda, que será chamada de TimãoCoin e teria custo fixo de dez reais a moeda.