Servidores do Mato Grosso recebem curso sobre blockchain

No dia 22 de agosto, servidores da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Seciteci) participarão de uma série de atividades sobre empreendedorismo, tecnologia e inovação, conforme divulgou o Governo do Mato Grosso em seu site oficial.

Chamado de Blockmeet-MT, o evento será realizado na Faculdade de Tecnologia (Fatec- Senai), em Cuiabá, a partir das 8 horas, e terá como tema principal a tecnologia Blockchain. Durante o Blockmeet, segundo o governo, a Seciteci terá um estande para divulgar suas ações e as do Parque Tecnológico Mato Grosso, que são voltadas para tecnologia e inovação. Instituições como IBM, Embrapa e Fiesp também participarão do encontro.

"A Blockchain é uma ferramenta emergente, nossa visão é a de prospectar as possibilidades de aplicação nos serviços públicos, beneficiando a sociedade”, disse a superintendente de Desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação, Lecticia Figueiredo.

O consultor da blockchain em Cuiabá, Rafael Martins conta que o intuito do evento é promover o desenvolvimento de um ecossistema de inovação baseada em blockchain para o agronegócio, startups e indústrias de Mato Grosso.

"A tecnologia Blockchain nada mais é do que uma ‘corrente de blocos’, ou livro contábil, que faz o registro de uma transação de moeda virtual, de forma que esse registro seja confiável e imutável. Essa tecnologia permite que as informações não sejam distribuídas em cópias, como é feito em transações financeiras on-line tradicionais, mas compartilhadas simultaneamente por uma rede de computadores que assina digitalmente cada transação e garante que ela jamais possa ser adulterada”, explica.

Como reportou o Cointelegraph, a Siemens, uma das maiores empresas do mundo, escolheu a cidade de Jundiaí, como sede do Mindsphere no Brasil, sua solução de rastreabilidade usando blockchain. A empresa instalou na cidade o MAC (MindSphere Application Center), espaço de co-criação, pesquisa e desenvolvimento de soluções digitais da empresa.

Segundo a empresa a Siemens pretende integrar startups locais no projeto. Embora não tenham divulgado o valor do investimento, a empresa conta 2.258 funcionários  na cidade e recolhe R$ 14 milhões anuais em impostos e taxas.