Siemens quer colocar lanches em blockchain e Jundiaí, no interior de São Paulo, abriga Centro de Desenvolvimento de DLT da empresa

A Siemens, uma das maiores empresas do mundo, escolheu a cidade de Jundiaí, como sede do Mindsphere no Brasil, sua solução de rastreabilidade usando blockchain. A empresa instalou na cidade o MAC (MindSphere Application Center), espaço de co-criação, pesquisa e desenvolvimento de soluções digitais da empresa.

Segundo a empresa a Siemens pretende integrar startups locais no projeto. Embora não tenham divulgado o valor do investimento, a empresa conta 2.258 funcionários  na cidade e recolhe R$ 14 milhões anuais em impostos e taxas.

Recentemente, a empresa anunciou que utilizará blockchain e IoT para rastrear a cadeia de produção de lanches por meio do Mindsphere, segundo reportagem do Cointelegraph em Espanhol, publicada em 10 de agosto. O projeto será, inicialmente, executado na Espanha.

“ A união das duas tecnologias proporciona, tanto aos consumidores quanto aos fabricantes, a garantia de que o produto foi otimamente processado e dá total confiança de que o selo orgânico que você vê no rótulo foi alcançado graças a uma metodologia ecológica. em seu processo de produção ”, diz a empresa, que explica que através de um código QR, o comprador pode ter acesso a todas as informações disponíveis sobre as origens dos componentes individuais do produto, bem como as condições de produção, transporte e embalagem.

A iniciativa permitirá ao consumidor dispor de informações para analisar a origem do produto e a rota que segue até a sua apresentação no ponto de venda. Também permitirá que o fabricante melhore a cadeia de suprimentos. "Melhorar a rastreabilidade e a qualidade do produto é uma das vantagens do uso do blockchain, uma vez que fornece muitas informações aos fabricantes, a partir das quais eles podem tirar conclusões sobre as condições de produção.

Além disso, é possível identificar processos , procedimentos e parâmetros para controlar e, inclusive, modificar aqueles que considerem necessários

A Siemens também demonstrou interesse em adotar outras soluções baseadas em blockchain. Em particular, está explorando o uso do blockchain na indústria de transporte, em particular em um c automóvel que está sendo desenvolvido com a tecnologia da empresa.

Como reportou o Cointelegraph, no Paraguai , as autoridades dos setores público e privado assinaram um acordo de cooperação interinstitucional para fortalecer a rastreabilidade do setor de carnes, por meio de um sistema blockchain .

A ideia é usar blockchain para melhorar a competitividade do setor e incorporar variáveis ​​socioambientais, como valor agregado para os mercados internacionais. O objetivo do acordo é desenvolver um programa piloto para identificação de animais individuais, baseado em um sistema de computador alinhado ao conceito de blockchain que permite a verificação sustentável do ciclo de produção e processo do produtor para o consumidor final