Malta vai registrar todos os contratos de aluguel de propriedades em blockchain

Em Malta, uma nova regulação vai requerer que contratos de aluguel de imóveis sejam registrados em uma blockchain, por razões de segurança, conforme a agência local Malta Today noticiou em 23 de junho.

O Primeiro-Ministro de Malta, Joseph Muscat, disse que seu gabinete aprovou a nova regulação, que será anunciada nos próximos dias, que exige que contratos de aluguel sejam registradas em uma blockchain para protegê-los de adulteração e garantir o acesso autorizado. Muscat disse:

“Nós agora vamos mostrar às pessoas que o valor agregado à tecnologia através da qual eles poderão usar em seu dia a dia. Tal contrato não pode ser adulterado e somente aqueles autorizados poderão acessá-lo. Isso mostra como a transformação digital afetará nossas vidas ”.

Malta já estabeleceu-se como um país amigável para blockchain e moedas digitais, e tornou-se conhecida como uma “ilha blockchain”. Em fevereiro, a Autoridade de Serviços Financeiros de Malta emitiu uma consulta sobre cibersegurança, sugerindo que o sistema de cibersegurança da agência teria de cumprir padrões internacionais, incluindo as regras da Autoridade Bancária Europeia.

A integração de tecnologia blockchain com processos relacionados ao ramo imobiliário ganhou força nos últimos meses. Em junho, o Departamento de Terras de Rubai e a empresa telecom Etisalat assinou um memorando de entendimento para uma tecnologia blockchain voltada ao setor imobiliário. Ambas as partes pretendem implementar padrões de governo inteligente, introduzindo uma gestão sem papel e contratos digitais para transações de propriedade.

No mês passado, a Enterprise Ethereum Alliance (EEA) detalhou diversos casos de uso relevantes para a indústria imobiliária para o Cointelegraph. A EEA acredita que a blockchain tem o potencial de acelerar o processo de registro e transferência de propriedades, ao mesmo tempo em que aumenta a transparência e torna os registros de terra inalienáveis, entre outras questões.