Maior banco coreano aumenta a pressão sobre contas vinculadas à exchanges cripto

Um dos maiores bancos da Coreia do Sul está planejando intensificar a regulamentação de contas ligadas a exchanges cripto, informou o BEI News em 1º de julho.

As “medidas especiais” que o Shinhan Bank está propondo envolveriam alocação de funcionários para a análise de transações de contas.

Acredita-se que o banco esteja esperando se distanciar das alegações de que está ajudando criminosos financeiros, em meio a um aumento no número de casos de fraudes envolvendo exchanges.

Na sequência do julho, o banco também espera lançar um sistema de monitoramento de inteligência artificial que usa aprendizado profundo para identificar transações fraudulentas com mais rapidez e precisão.

O BEI News citou um porta-voz do Shinhan Bank que disse:

"Estabelecemos um plano abrangente para a eliminação de fraudes financeiras e de telecomunicações... Continuaremos com a implementação de medidas preventivas para que os clientes não sejam prejudicados no futuro".

A repressão vem à medida que exchanges cripto continuam sendo vítimas de hacks - incluindo a plataforma sul-coreana Bithumb.

A Bithumb sofreu vários grandes hacks. Em março, mais de três milhões em EOS (no valor de US$ 17,5 milhões no momento desta publicação) foram roubados de uma carteira quente.

Um grande hack no verão passado roubou US$ 17 milhões em 11 criptomoedas, predominantemente Bitcoin (BTC) e Ether (ETH).