Grande provedor chinês de notícias financeiras adiciona índice de cripto

A Sina Finance, um site focado em finanças e de propriedade da Sina Corp, importante empresa de tecnologia da China, adicionou um índice de cripto em seu aplicativo para dispositivos móveis, informou o Cnledger, recurso on-line focado no Twitter na China, em 3 de julho.

O novo índice do importante canal de notícias financeiras da China fornece dados sobre preços e desempenho de importantes criptomoedas, como Bitcoin (BTC), Bitcoin Cash (BCH), Litecoin (LTC), XRP e Ether (ETH), de acordo com uma captura de tela do aplicativo móvel, fornecida por Cnledger.

Screenshot of Sina Finance’s Crypto Index on Mobile

Captura de tela do Índice de cripto da Sina Finance no celular. Fonte: Cnledger

O novo índice de cripto está disponível apenas no aplicativo móvel da Sina Finance, mas não na versão para desktop, como informou a TechNode, no dia 4 de julho. Segundo a reportagem, o novo recurso também dá as últimas notícias do setor.

A Sina não divulgou nenhum anúncio público sobre o assunto até o momento desta publicação.

A China é conhecida por sua postura anticripto em relação às criptomoedas desde o final de 2017, quando o país proibiu tanto o comércio de Bitcoin quanto as ofertas iniciais de moedas (ICOs). Mais recentemente, a popular rede social e operadora de pagamentos chinesa WeChat baniu transações de cripto como parte de sua política de pagamentos, que prevê o encerramento de contas envolvidas no comércio de cripto.

Paralelamente, as autoridades chinesas sugeriram uma possível eliminação da cripto no país em abril de 2019, com a Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma (CNDR) incluindo a mineração de cripto como parte de seu esboço da lista revisada de atividades industriais que a agência planeja encerrar devido por razões regulatórias ou ecológicas, entre outras.

Enquanto isso, até 73% das empresas chinesas acreditam que a blockchain, tecnologia subjacente das criptomoedas, é uma das cinco principais prioridades estratégicas, conforme relatado em 27 de junho.