'Tocha do Bitcoin' passa por mais de 200 pessoas em 47 países e chega à América Latina

Experimento interativo que tem unido a comunidade Bitcoin ao redor do mundo, a "Lightning Network Trust Chain" (Cadeia de Confiança da Lightning Network) chegou aos países da América Latina nesta terça-feira, 19 de fevereiro.

Também chamada de "Torch" (ou "Tocha"), em alusão à tocha olímpica que percorre o planeta a cada 4 anos, a iniciativa tem como objetivo o de divulgar a tecnologia Lightning Network, que tem como objetivo solucionar a barreira da escalabilidade do Bitcoin.

Esta tecnologia consiste em utilizar canais de micro pagamentos instantâneos espalhados pela rede que removem o risco de se delegar a custódia de fundos à terceiro.

Os participantes da "Tocha do Bitcoin" divulgam a tecnologia em uma espécie de corrida global de transferências usando uma quantidade cada vez maior de BTC.

Por meio do Twitter, as pessoas passam a "Tocha" de uma pessoa para outra, adicionando 10.000 satoshis (ou cerca de US$ 0,39 na cotação desta terça-feira, 19 de fevereiro) ao pagamento antes de enviá-lo adiante. 

O nome do projeto - "Cadeia de Confiança da Lightning Network" - se deve ao fato de que quem estiver com a "Tocha" deve passá-la para alguém em quem confia e que enviará o pagamento adiante mais uma vez, ao invés de manter o pagamento para si.

A “Tocha” já atraiu a participação de 218 pessoas em pelo menos 47 países e o projeto conta até com um site para acompanhar o seu andamento em tempo real.

No domingo, 17 de fevereiro, a “tocha” da chegou aos representantes do projeto La Bitcoineta, na Argentina, mas Brasil, Equador, México, Uruguai e Venezuela também já tiveram representantes na empreitada - no Brasil, a "Tocha" passou pelas mãos de Henrique Matos, como mostra o site oficial da iniciativa.

A lista de participantes inclui nomes notáveis da comunidade Bitcoin, como Andreas Antonopoulos e o CEO do Twitter, Jack Dorsey.

A “Tocha” começou a rodar o mundo em 19 de janeiro de 2019 com o bitcoiner "Hodlonaut" e já acumula 3,5 milhões de satoshis (ou cerca de US$ 140). A meta é chegar a 4,2 milhões de satoshis.

A Lightning Network é uma solução de escalabilidade para a rede Bitcoin que gerou grande expectativa - e tem muitos adeptos. 

Em tese, a tecnologia permitiria não apenas reduzir o tempo de processamento das transações, mas também a realização de micro-pagamentos com comissões mínimas.