Líder do banco central sueco diz que o Libra é um 'importante evento catalítico'

O chefe do Riksbank da Suécia caracterizou o projeto Libra do Facebook como "um evento catalítico incrivelmente importante" que está estimulando os bancos centrais do mundo a se prepararem para a transformação digital.

Em uma entrevista à Squawk Box Europe da CNBC em 15 de outubro, o presidente do Riksbank, Stefan Ingves, disse:

"Foi um evento catalítico incrivelmente importante e balançou a árvore quando o Libra apareceu do nada, e isso nos forçou a pensar muito sobre o que fazemos".

Privado x público, não digital x físico

Falando como chefe do banco central em um país onde a revolução sem dinheiro está ocorrendo rapidamente - com pagamentos em dinheiro respondendo por apenas 2% das transações e menos de 20% das lojas suecas aceitam dinheiro - Ingves ainda assim subordinou a questão da moeda digital vs. moeda física à questões mais fundamentais de propriedade, emissão e autoridade.

"Parte do meu trabalho é produzir um bem/serviço chamado coroa sueca que seja conveniente para os cidadãos suecos e se eu sou bom nisso em termos técnicos, não tenho problema", começou ele sua observação. "Mas se eu começar a emitir moedas de cobre de 20 quilos como fazíamos em 1668, logo estaremos fora do negócio."

Porém, mesmo enquanto tudo "será digital de uma forma ou de outra", Ingves enfatizou que:

“As questões antigas - dinheiro do setor privado ou dinheiro do setor público - são basicamente idênticas e, se a história nos der alguma orientação, quase todas as iniciativas do setor privado entraram em colapso mais cedo ou mais tarde.”

O Riksbank anunciou notavelmente o lançamento do teste de sua moeda digital de banco central (CBDC), chamada e-krona, em novembro de 2018.

Ao contrário de uma criptomoeda ou de um projeto do setor privado, como o Libra, a CBDC é uma moeda digital emitida por um banco central com status de curso legal e outras propriedades de moeda fiduciária centralizada.

China

Há evidências de bancos centrais em todo o mundo reunindo recursos para a transformação digital.

A China vem pesquisando seu próprio projeto de CBDC desde 2014, com indicações do Banco Popular da China, também conhecido como PBoC, de que a moeda poderá estar pronta para ser lançada em breve, mesmo ela não tenha se comprometido com um cronograma oficial.

Acadêmicos chineses alegaram que a revelação do Libra do Facebook provocou intenso debate entre os reguladores locais e motivou os designers do projeto a envolver mais instituições não-governamentais no processo de desenvolvimento e emissão da moeda.

Com o Libra enfrentando obstáculos regulatórios significativos e contínuos, alguns dos parceiros mais destacados do projeto — Visa, eBay, Stripe e Mastercard — anunciaram o abandono da iniciativa.