Líderes da excange cripto sul-coreana Komid são presos por falsificação de volume: Imprensa local

Dois líderes da exchange de criptomoedas sul-coreana Komid teriam sido condenados a cumprir pena de prisão por falsificarem os volumes de transações, informou a blockinpress, mídia de cripto da Coreia do Sul em 18 de janeiro.

O CEO da exchange, de sobrenome Choi, recebeu uma sentença de três anos, enquanto outro líder da empresa, de posição não especificada, foi supostamente condenado a dois anos de prisão por fraude, estelionato e má conduta, observa o artigo.

As acusações descrevem um esquema em que a exchange falsificou 5 milhões de transações para inflar seu volume, o que supostamente rendeu 45 milhões de dólares. Suspeita-se também que a empresa usou um bot para criar automaticamente grandes pedidos e atrair novos usuários. O artigo cita o juiz dizendo:

“Choi cometeu fraude por um número incontável de vítimas por um longo período de tempo…. Além disso, ele responsabiliza as autoridades financeiras por não acompanharem melhor o setor”.

Como a Cointelegraph informou em dezembro do ano passado, a Upbit, maior empresa de cripto da Coreia do Sul, negou as acusações de ter manipulado sua carteira de pedidos após os reguladores indicirem três de seus funcionários.

Citando relatórios do Escritório de Promotores Distritais de Seul, o jornal The Korea Times disse à época que dois executivos seniores da desenvolvedora da Upbit, a Dunamu, e um funcionário da Upbit foram indiciados, mas não detidos, como parte de uma investigação sobre o processo.

Antes, mas ainda no mesmo mês, a exchange cripto Bithumb, também da Coreia do Sul, negou acusações de falsificação do volume de negócios.