Dunamu, afiliada da Kakao, lança plataforma de serviços blockchain

A Dunamu, braço fintech da maior corporação de internet da Coréia do Sul, a Kakao, está lançando uma plataforma de serviços blockchain projetada para ajudar  empresas a iniciarem negócios usando a tecnologia blockchain. O jornal JoongAng Daily, da Coréia, noticiou nesta terça-feira, 19 de março.

A plataforma, chamada de Luniverse e supervisionada pelo laboratório de pesquisa de tecnologia blockchain Lambda256, é voltada para ajudar as startups de TI a desenvolver serviços baseados em blockchain. A plataforma tem um alto nível de segurança e uma função de escala automatizada, que pode ajustar o tamanho das blockchains de acordo com a quantidade de dados armazenados nela.

Para implementar o serviço, a Dunamu colaborou com empresas de blockchain que forneceram vários aplicativos e produtos baseados na tecnologia, de acordo com os campos de negócios dos clientes. Park Jae-hyun, CEO e ex-chefe de pesquisa da Lambda256, disse que “no passado, muitas empresas construíram sua própria blockchain, mas uma alternativa é terceirizar o estabelecimento de uma blockchain na forma de um serviço oferecido em nuvem.”

Ontem, Kakao anunciou a integração de sua carteira de criptomoedas com seu aplicativo de mensagens KakaoTalk, permitindo que mais de 44 milhões de usuários sul-coreanos do KakaoTalk realizem transações peer-to-peer usando a carteira de criptos da Kakao.

Também em março, o Cointelegraph informou que a Kakao repetirá sua oferta inicial de moedas depois arrecadar US$ 90 milhões de investidores. A Klaytn, a plataforma blockchain que é de responsabilidade da spin-off Ground X, agora tentará levantar mais US$ 90 milhões. Em dezembro de 2018, a Kakao anunciou pela primeira vez que planejava levantar cerca de US$ 300 milhões através do Ground X para desenvolver seu próprio token.

Conforme noticiado em fevereiro, no quarto trimestre de 2018, as despesas operacionais da Kakao relacionadas a novos negócios, como blockchain e inteligência artificial, foram de 65 bilhões de won (US$ 57,5 milhões), resultando em um prejuízo líquido durante todo o período. O lucro operacional consolidado da Kakao foi de 4,3 bilhões de won coreanos (US$ 3,8 milhões).