Justiça condena suposta pirâmide financeira, Hibridos Club, a devolver 17 mil reais a usuário

A Justiça do Estado de São Paulo, por meio do Tribunal de Justiça do Estado, determinou uma condenação a suposta pirâmide financeira Hibridos Club Consultoria E Gestao Financeira Ltda em cerca de R$ 17 mil reias, coforme decisão publicada hoje, 12 de junho.

Desde 2018 a Hibridos era apontada por usuários como um suposto esquema criminoso que arrecadava recursos e oferecia aplicações com Bitcoin e criptomoedas. No ano passado, clientes alegaram que o empresário Hélio Caxias, da Hibridos teria desaparecido, no entanto, pouco mais de um mês depois o empresário foi supostamente encontrado.

O investidor Gustavo Alexandre Morais, alega ter investido R$ 1.000,00 (um mil reais) e posteriormente teria aplicado mais R$ 8.078,35, totalizando o valor aportado de R$ 9.078,35 (nove mil, setenta e oito reais e trinta e cinco centavos). No entanto, na ação Morais, pede a restituição total de R$ 17 mil reais que corresponderia a totalidade dos valores aplicados mais a rentabilidade anunciada pela suposta pirâmide.

Na decisão o juiz declarou que:

"JULGO PARCIALMENTE PROCEDENTE os pedidos para: (i) Condenar a requerida ao pagamento do valor de R$ 17.000,01 (dezessete mil reais e um centavo), corrigidos desde a data em que deveriam ter sido pagos pela requerida ao autora, com juros de mora a partir da citação até o efetivo pagamento; (ii) Condenar a requerida ao pagamento das custas e despesas processuais e honorários advocatícios que fixo em 15% (quinze por cento) sobre o valor da condenação", determina a decisão.

A decisão é de primeira instância e ainda cabe recurso.

Como reportou recentemente o Cointelegraph, o Grupo Bitcoin Banco tem enfrentado diversos processos judiciais por conta de atraso em depósitos requerido por usuários. O GBB tem revertido decisões desfavoráveis inclusive uma que pede a retirada de uma reportagem contrária ao grupo