Tecnologia do Bitcoin, blockchain, ajuda Junta Comercial do Ceará a registrar documentos

A Junta Comercial do Ceará, JUCEC. está usando a tecnologia blockchain para registrar todos os documentos aprovados na instituição para garantir a imutabilidade das informações segundo destacou o site oficial do Governo do Estado do Ceará em 17 de outubro.

O serviço, implementando ainda em 2018, seria o primeiro do Brasil e é executado em parceria com a startup Star Labs. Por meio da solução, após um documento ser aprovado pela JUCEC ele é registrado em blockchain para garantir que as informações não sejam alteradas.

“O blockchain não permite a mutabilidade dos documentos registrados, o que possibilita a segurança jurídica a todo o banco de dados das empresas registradas no Ceará. Os entes integrados à RedeSimples receberão esses documentos absolutamente seguros e sem a possibilidade de fraudes (...) todos os órgãos que integram à Rede cumpriram o papel que a Lei impôs, que é a necessidade de reduzir a burocracia, de forma a simplificar e dar segurança jurídica. A RedeSimples possibilitou que os entes que fizeram adesão possam ter seu papel de agente econômico”, destacou no lançamento a presidente da Jucec, Carolina Monteiro.

A iniciativa da JUCEC seria pioneira entre as Juntas Comerciais do Brasil, mostrando que a tecnologia pode ser usada no registro de documentos públicos e pode ajudar na modernização de cartórios e sistemas do poder público.

“Temos a certeza de que não há outro caminho a não ser o combate a ineficiência no setor público", declarou o secretário da Fazenda, João Marcos Maia.

Como noticiou o Cointelegraph, a Cooperativa de Transporte Autônomos de Passageiros do Estado do Ceará (Cootraps) anunciou que deve permitir o pagamento com Cenos ônibus de Fortaleza, capital do Ceará. A iniciativa busca trazer novas opções de pagamento para os usuários além de reduzir custos, segundo destacou a cooperativa.