'Como ele estava no projeto, confiei nele': investidores lamentam ter acreditado em Ronaldinho Gaúcho para investir na 18k

Um investidor que tem R$ 77 mil presos na empresa 18kRonaldinho, empresa que era ligada ao craque pentacampeão mundial de futebol, disse que acreditou no ex-atleta para o investimento e agora cobra os saques bloqueados desde que a empresa abriu uma crise com a saída de seu embaixador. A notícia é do UOL.

A 18kRonaldinho oferecia rendimentos típicos de algumas das empresas acusadas de pirâmide financeira com criptomoedas no Brasil: até incríveis 2% ao dia. A empresa hoje bloqueou saques, não atende seus clientes e teria até mudado de nome.

O padeiro Carlos André da Silva Costa disse na matéria que confiou nas promessas de rendimento e na imagem de Ronaldinho Gaúcho para investir todas as suas economias. Ele vive em Rondonópolis (MG) e fez três aportes de R$ 48 mil na empresa.

Quando decidiu sacar o investimento, ele viu R$ 77 mil do montante presos na plataforma da empresa, que não disponibiliza mais saques nem dá prazo para resolver a questão. O investidor teria sido afetado, tendo de adiar uma reforma de sua casa e de refinanciar seu carro.

"Fiquei sabendo da 18k pela internet. O povo começou a falar, e eu admirava demais o Ronaldinho, sempre fui fã do cara, gostava do futebol dele. E como ele estava no projeto, confiei nele. Eu achava que era uma coisa legal, nunca pensei que fosse um golpe."

Ele não poupa a responsabilidade do ex-jogador sobre a captação de clientes:

"Vi o Ronaldinho chamando a população, falando que quem entrava não perdia, que não associava o nome dele a coisa ruim, que ele estava lá só pra retribuir a paixão dos fãs, pra ajudar as pessoas. Então eu falei: 'É agora!' e coloquei mais duas contas de R$ 48 mil. Quem estava lá colocou tudo que tinha, não fui só eu. Foram várias pessoas. Tudo por causa do cara."

Segundo Ronaldinho Gaúcho, ele rompeu ligações com a 18kRonaldinho, que a princípio trabalhava com marketing multinível e relógios licenciados de luxo, depois que a empresa passou a oferecer investimentos irreais, supostamente com criptomoedas. O Ministério Público já investiga a empresa. Os investidores ouvidos pelo UOL preparam uma ação coletiva contra a 18k.

A empresa diz ser vítima de "fraude", de forma similar a outras empresas que enfrentaram grande dificuldade para cumprir o que prometeram, especialmente quando as promessas de investimento eram consideradas irreais.