Telecom indiana Jio revela rede blockchain para 330 milhões de clientes

A provedora indiana de telecomunicações Reliance Jio Infocomm Limited (conhecida como Jio) prometeu construir o que descreve como 'uma das maiores redes blockchain do mundo'.

Presidente: Nodes devem estar ativos desde o primeiro dia

Falando na 42ª AGM da empresa (1.01) em 12 de agosto, o presidente e diretor Shri Mukesh D. Ambani disse que a tecnologia blockchain se tornou uma das três principais áreas de expansão da Jio.

Desde sua entrada no segmento em 2015, a empresa tornou-se uma das principais redes móveis da Índia, com uma base de usuários de mais de 330 milhões de pessoas no momento.

“Nos próximos 12 meses, a Jio instalará em toda a Índia uma das maiores redes blockchain do mundo, com dezenas de milhares de nodes operacionais no primeiro dia”, prometeu Ambani.

Ele fez esses comentários quando a Índia enfrenta uma reação contrária a seu plano de banir a criptomoeda enquanto defende a tecnologia blockchain em nível estatal.

Como o Cointelegraph relatou, comentaristas externos se juntaram à fúria advinda da indústria de cripto local em meio a avisos do banco central que poderia criminalizar a interação com tokens não sancionados como o Bitcoin (BTC) no futuro.

Dados de clientes pertencentes e controlados pelo povo indiano

Mantendo-se distante do assunto, Ambani concentrou-se no papel da blockchain na capacitação dos consumidores indianos.

"Usando a blockchain, também temos a oportunidade de inventar um novo modelo de privacidade de dados, em que os dados indianos, especialmente os dados de clientes, são de propriedade e controlados pelo povo indiano e não por corporações - especialmente corporações globais", disse ele.

A natureza exata da instalação da blockchain da Jio permanece incerta, com Ambani não entrando em detalhes sobre como os usuários poderiam potencialmente se envolver ou monitorar seus dados.

Além da Índia, estimativas colocam o valor potencial da indústria global de telecomunicações blockchain como atingindo US$ 1 bilhão até 2023.