Índia aprova MOU sobre pesquisa conjunta de blockchain com membros do BRICS

O Gabinete da União da Índia aprovou um Memorando de Entendimento (MoU) sobre a pesquisa colaborativa de tecnologia de livro-razão distribuído (DLT), o local de notícias ANI relatou em 12 de setembro. O Gabinete da União é o órgão decisório supremo na Índia composto por ministros de gabinete e liderado pelo primeiro-ministro, Narendra Modi.

O MoU, que é uma iniciativa cooperativa no âmbito do Mecanismo Interbancário de Cooperação do BRICS, visa promover uma melhor compreensão do DLT e definir áreas onde a tecnologia pode ser implantada para melhorar a eficiência operacional.

A pesquisa será conduzida em conjunto pelo Banco de Exportação e Importação da Índia (Exim Bank) e pelos bancos dos outros estados membros do BRICS; Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES, Brasil), Banco de Desenvolvimento da China (CDB), Banco Corporativo do Estado para o Desenvolvimento e Assuntos Econômicos Estrangeiros (Vnesheconombank, Rússia) e Banco de Desenvolvimento da África Austral (DBSA).

O MoU foi inicialmente proposto na 10ª Cúpula Internacional dos BRICS realizada em Joanesburgo em julho, cujo foco principal era a cooperação no desenvolvimento econômico “em face da quarta revolução industrial”. Os bancos então concordaram em estudar conjuntamente o DLT “no interesse do desenvolvimento da economia digital”. Mikhail Poluboyarinov, Primeiro Vice-Presidente e membro do Conselho do Vnesheconombank, disse sobre o MoU:

"O acordo atual permite que os bancos de desenvolvimento dos países do BRICS estudem as aplicações de tecnologias inovadoras em finanças de infraestrutura e otimização de produtos bancários."

Naquele mês, o estado indiano de Telangana também assnou MoUs com empresas de blockchain para eventualmente implementar a tecnologia em aplicações estaduais, a fim de simplificar os serviços do governo. A medida supostamente visa trazer mais transparência e eficiência aos serviços públicos fornecidos pelo estado.