No Rio Grande do Sul usuário pode pagar aluguel e comprar imóveis com Bitcoin, Ethereum, Binance Coin e criptomoedas

A imobiliária Prolar anunciou uma parceria com a  Pundi X para permitir que seus usuários paguem aluguel e condomínio usando Bitcoin (BTC), Binance Coin (BNB), Ethereum (ETH), o token NPXS, entre outros, conforme noticiou jornal Ponto Inicial, em 20 de julho.

Segundo a publicação além de aluguel e condomínio também é possível comprar casas, apartamentos, imóveis comerciais e outros usando criptomoedas. O cliente pode fazer os pagamentos em criptomoedas de duas maneiras: pelo cartão magnético adquirido na Prolar ou pelo aplicativo XWallet, que faz a leitura via QRcode.

“A principal vantagem é a transferência do valor de forma instantânea da carteira digital do cliente para a carteira da Prolar. Essa tecnologia consegue transformar qualquer pessoa física ou jurídica numa exchange. Além disso, não existe nenhuma taxa para o cliente, e a Prolar pode transformar o valor em Real quando solicita o saque”, explica Daniel Jardim, sócio da Expert 360, startup responsável pelo desenvolvimento da tecnologia.

Como informou o portal Livecoins, além da Prolar, a Duo Imóveis que fica localizada em Caxias do Sul, Rio Grande do Sul, já aceita critpomoedas desde 2018.

O Cointelegraph destacou em 16 de julho que a Cyrela, uma das maiores empresas do setor no Brasil, anunciou que realizou a primeira transação imobiliária completamente feita em blockchain. A empresa nacional se uniu com a startup Growth Tech para realizar a venda dentro do projeto Notary Ledgers, que usa a tecnologia de blockchain da IBM