Lagarde, a chefe do FMI: Tecnologias de ledger distribuído estão abalando o sistema

Christine Lagarde, diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), disse que os inovadores da blockchain estão abalando o mundo financeiro tradicional e que eles têm um impacto claro sobre os participantes.

Lagarde teceu esses comentários em uma entrevista à CNBC em 10 de abril, após um painel dedicado a “Dinheiro e Pagamentos na Era Digital”, como parte das Reuniões da Primavera de 2019 do Grupo Banco Mundial e do FMI em Washington, D.C.

Contribuíram para o painel anterior, que Lagarde moderou, Jeremy Allaire, cofundador e CEO da empresa de financiamento cripto Circle,  Sarah Youngwood - diretora financeira do Consumer & Community Banking do JPMorgan Chase - Benoît Cœuré do Banco Central Europeu (BCE) e o presidente do Banco Central do Quênia (CBK) Patrick Njoroge.

Lagarde observou que os desreguladores financeiros estão tendo um impacto claro sobre os operadores históricos e reformulando o sistema a partir de dentro, apontando para a iniciativa do JPMorgan Chase de lançar sua própria moeda digital, bem como novas iniciativas do BCE que visam fornecer transferências de valor instantâneas e virtualmente gratuitas:

"Acho que o papel dos disruptores e de qualquer coisa que use a tecnologia de ledger distribuído, quer você chame isso de ativos cripto, moedas ou qualquer outra coisa - e está longe dos Bitcoins dos quais falávamos há um ano - ela está claramente abalando o sistema."

Ela observou ainda que o potencial transformador de tecnologias e ativos baseados em blockchain tem sido amplamente adotado por reguladores e bancos centrais, que, segundo ela, reconhecem o efeito positivo que novas invenções podem oferecer para o modelo de negócios dos bancos comerciais.

No entanto, Lagarde expressou uma palavra de cautela em relação ao sangramento de novas finanças, afirmando:

"Temos que ter em mente duas coisas: confiança e estabilidade do sistema [...] não queremos inovações que abalem tanto o sistema que perderíamos a estabilidade necessária".

Como relatado, Lagarde caracterizou anteriormente a cripto como algo entre uma moda passageira e uma revolução e disse que os mercados de cripto devem ser regulados pelas mesmas leis que se aplicam ao setor tradicional, a fim de proteger os consumidores e salvaguardar a estabilidade sistêmica.

Lagarde já havia afirmado anteriormente sua crença de que a regulação da cripto é inevitável e necessária, mas ela também defendeu o papel positivo que as criptomoedas podem ter para promover uma inclusão financeira mais profunda e oferecer uma alternativa às moedas nacionais em dificuldades.

Já em 2017, Lagarde já propôs que o FMI poderia se informar com os disruptores e potencialmente lançar seu próprio ativo digital no futuro.