Exchange hackeada Bitpoint encontra US$ 2,3 milhões de criptos roubadas

A exchange de criptomoedas japonesa Bitpoint descobriu mais de 250 mihões de Yens (US$ 2,3  milhões) em criptomoedas — uma parcela dos US$ 32 mihões roubados na emana passada, contorme o diário em língua inglesa The Mainichi publicou em 14 de julho.

De acordo com The Mainchi, a Bitpoint encontrou as criptomoedas roubadas em exchanges no exterior que estavam usando um sistema de negociação fornecido pela Bitpoint Japan. A Bitpoint disse ao The Mainchi que a recente descoberta torna o montante de fundos perdidos de 3,5 bilhões de Yens (US$ 32 milhões) para 3,02 bilhões de Yens (US$ 28 milhões).

A exchange foi hackeada em 12 de julho. 2,5 bilhões de Yens (US$ 23 milhões) dos fundos roubados eram de consumidores, enquanto 1 bilhão (US$ 9,2 milhões) pertenciam à exchange. Os hackers teriam roubado Bitcoin (BTC), Litecoin (LTC), Ether (ETH) e XRP das carteiras quentes da exchange.

A Bitpoint suspendeu todos os serviços após o hack, enquanto a empresa controladora Remixpoint Inc. perdeu 19% após o roubo. A Remixpoint parou de ser negociada em Tóquio após o ataque, devido a um excesso de pedidos de vendas.

O incidente recente envolvendo a Bitpoint faz parte de uma série de ataques, entre eles o hack recorde da exchange japonesa Coincheck em janeiro de 2018, quando  US$ 534 milhões de tokkens NEM foram roubados das carteiras quentes de baixa segurança da Coincheck.

A Bitpoint foi uma entre diversas exchanges que receberam uma ordem de melhoria de negócios da agência de finanças do Japão, a Agência de Serviços Financeiros (FSA), em junho do ano passado. Uma das principais preocupações da FSA era a conformidade das trocas com os requisitos de Anti-Lavagem de Dinheiro e de proteção de dados de clientes.

A agência também expressou preocupações de que os fundos dos clientes não estivessem sendo mantidos suficientemente isolados daqueles das exchanges.