Grayscale lança propaganda ‘Drop Gold’, a favor do Bitcoin, nas redes sociais através da Linear TV

A gestora de ativos digitais baseada em Nova York Grayscale Investments introduziu uma campanha publicitária promovendo o Bitcoin (BTC) chamada “Drop Gold” em um press release deste primeiro de maio.

A campanha Drop Gold é baseada na emergência do Bitcoin como alternativa ao investimento em ouro. Neste caso em particular, a publicidade promove o investimento em Bitcoin dentro do Bitcoin Investment Trust (BIT), de capital aberto da Grayscale, que começou a ser negociado sob o código GBTC em 2015.

A propaganda pró-Bitcoin da Grayscale inclui um comercial provocador que diz que investidores de ouro estão vivendo no passado. O comercial apresenta o ouro como um ativo ultrapassado que pesa no portfólio dos investidores, e contrasta-o com o Bitcoin, o ativo do mundo digital atualizado que é apresentado como sendo melhor em termos de velocidade, segurança e eficiência. A campanha também inclui um site da marca, que oferece informações gerais para conscientizar os investidores sobre o Bitcoin.

De acordo com o comunicado, a publicidade Drop Gold está pronta para ser lançada nas mídias sociais e plataformas digitais, assim como na TV, com público alvo definido em algumas das maiores cidades dos Estados Unidos.

Barry Silbert, fundador e CEO do Digital Currency Group e sua subsidiária Grayscale Investments, destacou que há uma mudança geracional na aproximação dos investimentos. De acordo com Silbert, os investimentos em ouro serão realocados para o Bitcoin assim que os "baby boomers" começarem a mover sua riqueza para uma geração de investidores mais nova.

Ele diz no comunicado:

“A indústria do ouro fez um trabalho fantástico de marketing para um metal superfaturado, mas o Bitcoin tem propriedades físicas superiores e utilidade no mercado. Eu acredito que o Bitcoin se tornará a reserva de valor da nossa era digital.”

Recentemente, a empresa de investimentos de risco americana Blockchain Capital publicou uma pesquisa que dizia que 11% dos americanos possuíam Bitcoin.