Governo de Minas Gerais firma parceria com Holanda para solução blockchain para transporte de carvão

As secretarias estaduais de Desenvolvimento Econômico (Sede) e de Planejamento e Gestão (Seplag) de Minas Gerais estão desenvolvendo uma solução em blockchain para o transporte de carvão vegetal e firmaram parceria com o governo da Holanda para auxiliar no processo.

De acordo com a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) de Minas, entre 2017 e 2018, foram consumidos mais de 40 milhões de metros cúbicos de carvão vegetal no estado. Atualmente, o sistema de transporte dessa carga é feito por formulários em papel. O que, além de ser caro – com uma grande produção de documentos físicos –, não seria muito seguro, pois passa pelas mãos de muitas pessoas no processo.

“O formato manual utilizado atualmente para registro desse produto é vulnerável a fraudes, uma vez que o Estado tem deficiência na fiscalização dessa cadeia. É impossível fazer o controle de tudo sem uma tecnologia de ponta”, explica o superintendente de Tecnologia da Informação do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Tiago Aroeira.

Com isso, o governo estadual decidiu que a blockchain seria essa tecnologia necessária para a implementação. O projeto visa integrar as informações e assegurar a origem do carvão através de um sistema que acompanhará o produto desde o plantio até a venda, parecido com o que o Carrefour e a BRF criaram com a IBM. Assim, a cada registro adicionado, todos os participantes podem visualizá-lo.

“Isso vai facilitar a fiscalização, emissão de licenças, pagamento de taxas e o controle sobre o carvão ilegal”, explica Jonathan Henrique Souza, desenvolvedor do projeto. “Além da segurança, o sistema reduz tempo de análise, aumenta a eficiência do processo, reduzindo custo”.

Parceria com a Holanda

O projeto foi recentemente apresentado ao governo holandês, que já está habituado a usar a tecnologia em processos do gênero ao ponto de ter uma chefe de projetos de blockchain, Marloes Pomp.

“Além de Minas Gerais ter uma relação muito próxima com o governo da Holanda, esta é uma boa oportunidade para eles replicarem o modelo que já utilizam lá, como no rastreamento de navios, por exemplo”, explica a chefe da Assessoria de Cooperação Nacional e Internacional da Sede, Maria Bueno, responsável por internacionalizar o projeto.

Ela afirma que a expectativa atual é de que a parceria se concretize e todos os documentos sejam assinados até o primeiro semestre de 2020, quando o governo da Holanda começará a atuar com auxiliando no projeto.

“A blockchain vai proporcionar vantagem competitiva para o governo de Minas Gerais, uma vez que reduzirá a burocracia e aumentará a eficiência”, reforça Souza.