Motivado pelo pânico, Fed imprime US$ 53 bi e CEO da BitMEX alerta: 'Prepare-se para o Bitcoin a $20K'

O Bitcoin (BTC) poderá em breve chegar a US$ 20.000 como resultado de medidas de emergência do Federal Reserve dos Estados Unidos, também conhecido como Fed, disse uma das maiores empresas do setor.

Fed ecoa os movimentos da crise de 2008

Em um “tuíte” em 18 de setembro, Arthur Hayes, CEO da gigante de derivativos BitMEX, previu que uma nova flexibilização quantitativa (QE) diminuiria ainda mais a fé na moeda fiduciária.

Os comentários foram divulgados um dia após o Fed ter diminuído as taxas de juros de alguns empréstimos que atingiram mais de 10%, ou quatro vezes sua meta. Mais de US$ 53 bilhões foram investidos na economia.

“O QE eterno está a caminho. Quando o Fed voltar amà nesma cantilena, prepare-se para o #bitcoin a US$ 20.000", escreveu Hayes.

A injeção de QE do Fed marcou sua primeira intervenção de emergência desde o final da crise financeira de 2008, um evento que levou diretamente à criação do Bitcoin.

Embora a criptomoeda ainda não tenha vivido uma crise global da mesma escala, os mercados mostraram que o preço do Bitcoin se beneficia da incerteza política e econômica.

Hayes dobra a aposta no preço do Bitcoin

Enquanto isso, não apenas o Fed, mas também o Banco Central Europeu (BCE) está seguindo a tendência de QE mais uma vez este ano.

Concluindo seu mais recente movimento na semana passada, os comentaristas acreditam que os mercados querem que o BCE continue com o mesmo comportamento, dando origem ao fenômeno "QE eterno” (QE4eva) descrito por Hayes.

No início deste mês, Hayes já havia dito que o Bitcoin chegaria novamente a sua máxima histórica de US$ 20.000. 

Como o Cointelegraph informou, a BitMEX ainda está lidando com a atenção indesejada dos reguladores dos EUA, que suspeitam que os americanos estão burlado o bloqueio geográfico da BitMEX e acessando a plataforma.