Com taxas de juros negativas para todas as contas, banco alemão dá impulso ao Bitcoin

A Alemanha, notavelmente cautelosa com o Bitcoin, viu seu primeiro banco exigir que os poupadores comuns pagassem para manter seu dinheiro com ele - mesmo que apenas um euro.

De acordo com vários meios de comunicação locais, incluindo o Süddeutsche Zeitung em 19 de novembro, o Volksbank Raiffeisenbank Fürstenfeldbruck (VRF) no norte da Baviera está cobrando juros negativos de 0,5% em depósitos menores.

Banco sobre taxas de juros negativas: "Tivemos que fazer isso"

"Tivemos que fazer isso", afirmou a publicação citando a administração do banco.

O motivo, disseram eles, foi o custo de deixar o dinheiro "estacionado" no Banco Central Europeu (BCE).

Na Alemanha, as taxas de juros negativas anteriormente impactavam apenas depósitos acima de € 100.000. Os depósitos abaixo desse valor constituíam uma provisão sem juros.

A ação do VRF o torna o primeiro credor do país a cair em cima de economias abaixo desse nível de cem mil euros.

"Recentemente, mais clientes têm vindo a nós de outros bancos onde já gastaram sua provisão", prosseguiu a administração.

Alemanha poderia "abrir a porteira" para os bancos

Como o Cointelegraph informou, as taxas de juros negativas estão começando a fazer parte da política monetária do BCE. O fenômeno, em última análise, significa que uma parte dos poupadores deve pagar aos bancos para manter seu dinheiro.

Os críticos alertaram que tais medidas incentivariam o público a usar mais dinheiro vivo, enquanto alternativas como o Bitcoin (BTC) também se beneficiariam.

Por outro lado, o Bitcoin não sofre com a interferência inflacionária em sua oferta nem com a consequente destruição de seu valor, o que significa que os HODLers nunca seriam obrigados a pagar para possuí-lo.

No mês passado, o empresário Cameron Winklevoss observou que a criptomoeda era o método ideal para escapar de taxas negativas em títulos, que representam investimentos no valor de US$ 17 trilhões.

Enquanto isso, conversando com o Süddeutsche Zeitung, o CEO de um portal de consumo alemão alertou que o VRF poderia "abrir a porteira" para outros bancos seguirem o exemplo.

"Estamos tendo muito movimento no mercado atualmente", disse Oliver Maier. Ele observou que a decisão do BCE de reduzir sua taxa básica de juros para os bancos de -0,4% para -0,5% foi a causa do transtorno.