Cameron Winklevoss: 'Compre BTC para escapar de títulos de rendimento negativo'

Cameron Winklevoss, entusiasta do Bitcoin (BTC) e cofundador da exchange cripto Gemini, observou que o volume de títulos de juros negativos é de US$ 17 trilhões e concocou o público a comprar Bitcoin. Em um tweet de 17 de ourubro, Winklevoss escreveu:

"Atualmente, US$ 17 trilhões de dólares são mantidos em títulos de juros negativos. 17 trilhões de razões pelas quais você deve possuir Bitcoin. ”

Como movimentar um volume desses para o BTC?

Nos comentários do tweet, um dos usuários disse que “migrar isso para o Bitcoin é um grande desafio”, e então Winklevoss perguntou a quais desafios ele se referia, afirmando ainda que leva menos de dois minutos para abrir um conta em uma exchange cripto.

No entanto, quando o usuário perguntou como seria possível mover uma dívida negativa para o BTC nesse volume, o Winklevoss não respondeu.

Títulos de rendimento negativo abalam a indústria

No início de outubro, Tone Vays, um trader veterano e especialista em Bitcoin, teve uma posição semelhante em resposta a uma afirmação de Winklevoss: "À medida que mais e mais países desenvolvidos tentam eliminar dinheiro e implementar taxas de juros negativas, isso pode levar muitas pessoas ao Bitcoin".

Em meados de agosto, o Deutsche Bank publicou que 27% dos títulos globais negociados apresentavam rendimento negativo na época, portanto, esperava-se que pagassem menos do que o custo inicial. Isso representava uma dívida de US$ 15 trilhões ou, como comentou o diretor de ativos digitais da VanEck, Gabor Gurbacs, 75 vezes o valor total de mercado do Bitcoin. 

Ao mesmo tempo, o Banco do Japão disse que os bancos centrais não poderiam usar moedas digitais para impor taxas de juros negativas. Masayoshi Amamiya, vice-presidente do Banco do Japão, disse que os estados que emitem moeda digital com uma taxa de juros negativa forçariam os habitantes a buscar dinheiro. Amamiya argumentou:

“Para superar o limite inferior nominal zero, os bancos centrais precisariam eliminar o caixa. A eliminação de caixa tornaria a infraestrutura de liquidação inconveniente para o público; portanto, nenhum banco central faria isso. ”