Futuro do dinheiro digital pode não envolver Blockchains

Embora possa ser difícil de imaginar, as criptomoedas são muito mais antigas do que a tecnologia Blockchain. A maioria de nós olha para o Bitcoin como a primeira criptomoeda, embora seja apenas a primeira moeda baseada em Blockchain. Criptomoedas como B-Money e BitGold existiam antes do Bitcoin, no entanto, isso realmente não foi longe, especialmente quando postas à prova contra o Bitcoin.

O problema com as criptomoedas concebidas antes do Bitcoin era sua estrutura centralizada. Sem a tecnologia Blockchain, não havia um livro-razão "descentralizado, imutável e transparente", no qual as transações pudessem ser registradas, levando a uma centralização. No entanto, parece que o Blockchain pode não ser o todo-poderoso, o fim de todas as tecnologias da moeda digital.

Recentemente, surgiu uma nova forma de cripto que alavanca o modelo organizacional do Diagrama Acíclico Direto (DAG - Directed Acyclic Graph) para a estrutura do seu livro-razão descentralizado, permitindo que os antigos problemas sejam resolvidos e novos recursos sejam adicionados.

Hoje, vamos analisar a tecnologia que pode potencialmente substituir o Blockchain e algumas das suas implementações atuais.

Embora as implementações que vamos discutir hoje sejam novas, o conceito não é. Em um documento de 2013 denominado "Accelerating Bitcoin’s Transaction Processing. Fast Money Grows on Trees, Not Chains" ("Processamento de transações de aceleração do Bitcoin. O dinheiro rápido cresce em árvores, não em correntes", em tradução livre), os autores Yonatan Sompolinsky e Aviv Zohar apresentam o protocolo GHOST que propõe uma mudança na estrutura do Bitcoin de um Blockchain para uma árvore, reduzindo os tempos de confirmação e melhorando a segurança. Embora essa alteração não tenha sido implementada no Bitcoin, outras criptomoedas estão usando o sistema baseado em DAG com sucesso. Vamos conhecê-los!

Byteball: O DAG

O Byteball é uma criptomoeda baseada em DAG. O primeiro de seu tipo, o Byteball é distribuído através de um processo de lançamento aéreo no qual a GBYTE, a moeda nativa da rede, é distribuída de acordo com as propriedades do Bitcoin do usuário. Recentemente a distribuição do GBYTE também começou a ocorrer através de parcerias de reembolso com os comerciantes participantes. Embora seja refrescante ver uma criptomoeda sem ICO, seu método de distribuição é um dos aspectos menos interessantes do Byteball.

No Byteball, não há blocos. Em vez disso, as transações são vinculadas diretamente entre si e cada transação contém um ou mais hashes de transações anteriores. O conjunto de links entre as transações forma o que é conhecido como DAG, em oposição ao sistema "Blockchain" usado em Bitcoin e outras criptomoedas.

Não há Prova de Trabalho (PoW) ou Prova de Participação (PoS) e mineração no Byteball. Em vez de ter blocos subsequentes confirmados anteriores, as transações são confirmadas por novas transações que as acompanham. Mas esse tipo de "confirmação" é apenas uma confirmação de que a transação existe, não que não seja um gasto duplo.

Então, como é que o gasto duplo é resolvido? Em moedas da PoW, os conflitos causados por gastos duplos são resolvidos selecionando a versão do histórico de blocos que tem mais trabalho comprometido com ela. No Byteball, uma vez que é baseado em DAG, já existe uma ordem parcial entre as transações. Isso permite que a maior parte dos gastos duplos sejam capturados e rejeitados imediatamente.

E se os gastos duplos estiverem em ramos paralelos do DAG e a sua encomenda não é evidente? Então, o Byteball usa a "Main Chain" - uma cadeia no DAG que passa por transações postadas por usuários confiáveis conhecidos chamados testemunhas. Das duas operações conflitantes, a que aparece mais cedo na Main Chain é considerada válida. As testemunhas são selecionadas pelos próprios usuários, que listam suas testemunhas preferenciais com cada transação que elas postam.

Embora ainda haja muito a explicar sobre o Byteball e seu sistema baseado em DAG, uma coisa fica clara: este sistema é uma alternativa viável à tecnologia Blockchain e pode até mesmo resolver alguns dos problemas mais proeminentes encontrados na tecnologia, tais como velocidade , sustentabilidade, escalabilidade, segurança, privacidade e conformidade legal.

Se o sistema for amplamente utilizado, as transações se tornam frequentes, garantindo que possam ser confirmadas em apenas segundos, em oposição à espera de 10 minutos no Bitcoin. Quanto à sustentabilidade, o sistema de testemunhas empregado pelo Byteball oferece um modelo de segurança no qual nenhuma mineração de Prova de Trabalho é necessária, o que significa que a eletricidade não é desperdiçada para garantir isso. Como o Byteball não tem blocos, não há problema no tamanho do bloco.

Quando comparado com o Ethereum, os contratos inteligentes do Byteball não são tão poderosos e não são tão completos, mas eles são simples, permitindo que sejam exibidos em forma legível pelo usuário. Isso significa que os usuários regulares podem ver o que realmente vai acontecer com seu dinheiro por si mesmos. Os mercados de previsão já estão funcionando com base nesses contratos, e um recurso de oracle manual recentemente introduzido permite que qualquer pessoa sem conhecimento técnico execute um mercado de previsão.

Quanto à privacidade, outras altcoins como Zcash e Dash já encontraram formas eficientes de proteger a privacidade do usuário. No entanto, é bom saber que você pode manter essa privacidade em uma rede que não exija tempos de confirmação prolongados ou uma Prova de Trabalho de mineração extravagante. O Byteball permite que o valor seja transferido de forma privada através de um recurso chamado "blackbytes".

Por fim, a conformidade legal é abordada pela Byteball através do seu sistema de emissão de ativos. Seu livro branco diz:

"Os usuários podem emitir novos ativos e definir regras que regem a sua transferência. As regras podem incluir restrições de gastos, como um requisito para cada transferência ser cativadq pelo emissor do ativo, que é uma maneira para as instituições financeiras cumprirem os regulamentos existentes".

IOTA: O tangle

A IOTA é uma criptomoeda única. Embora também use o modelo organizacional do Diagrama Acíclico D irecionado (DAG) sob o nome "Tangle" (Emaranhado), sua implementação e aplicações diferem de forma selvagem do Byteball. Projetado especificamente para a indústria IoT (Internet of Things - Internet das Coisas), a IOTA realizou uma ICO bem-sucedida em 2015, reunindo 1.337 BTC e foi lançada na Bitfinex no início deste ano.

Além do seu método de distribuição, a IOTA possui várias diferenças em relação ao Byteball. Por exemplo, na IOTA, todas as transações criadas devem validar um mínimo de duas transações anteriores. Para fazer isso, os usuários (que criam e validam transações) devem resolver um quebra-cabeça criptográfico semelhante ao encontrado nas criptomoedas de Prova de Trabalho.

Além disso, a IOTA não possui taxas. Ao contrário do Byteball, onde as taxas de transação GBYTE são iguais ao tamanho GB de uma transação, a IOTA não cobra nenhuma taxa, independentemente do tamanho ou montante da transação. Em vez disso, os nós são incentivados a participar da criação e confirmação de transações por outros nós que descartarão nós se eles não fizerem transações regularmente.

A falta de taxas resolve dois problemas críticos aos olhos dos desenvolvedores da IOTA. O livro branco diz:

"A importância dos micropagamentos aumentará no rápido desenvolvimento da indústria de IoT, e o pagamento de uma taxa maior que a quantidade de valor que está sendo transferida não é lógico. Além disso, não é fácil livrar-se das taxas na infraestrutura Blockchain, uma vez que servem de incentivo para os criadores de blocos. Isso leva a outro problema com a tecnologia atual de criptomoeda, ou seja, a natureza heterogênea do sistema. Existem dois tipos distintos de participantes no sistema, aqueles que emitem transações e aqueles que aprovam transações. O design deste sistema cria uma discriminação inevitável de alguns participantes, o que, por sua vez, cria conflitos que fazem com que todos os elementos gastem recursos na resolução de conflitos. As questões acima mencionadas justificam a busca por soluções essencialmente diferentes da tecnologia Blockchain, a base do Bitcoin e de muitas outras criptomoedas".

A falta de taxas normalmente criaria vetores para ataques de spam na rede. Para evitar este problema, a IOTA emprega um mecanismo de "peso" no qual as transações são confirmadas de acordo com seu peso. Esse peso é proporcional à quantidade de trabalho que o nó emissor investiu nele. O sistema de peso da IOTA garante que o spam não seja viável, pois nenhuma entidade pode gerar uma abundância de transações com pesos "aceitáveis" em um curto período de tempo.

Apesar das várias diferenças entre essas duas implementações de criptos baseados em DAG, a IOTA se diferencia por seu foco único, a indústria da Internet das Coisas (IoT). Se você não está familiarizado com a IoT, o conceito envolve uma rede global onde dispositivos como eletrodomésticos, carros e assim por diante são capazes de se comunicar e trocar dados, permitindo que eles sejam monitorados remotamente e até controlados.

O objetivo da IOTA é permitir que o valor e os dados sejam trocados e transferidos livremente entre esses elementos, permitindo que qualquer dispositivo, aparelho ou veículo habilitado para a IoT seja usado ou alugado de maneira eficiente e sem necessidade de confiança. Os dados fornecidos pelos dispositivos também podem ser comprados e vendidos através da rede IOTA.

Este conceito permite que o movimento da economia distribuída evolua de tal forma que qualquer um possa tirar o máximo proveito de seus pertences. Em suma, a IOTA atua como uma espinha dorsal para a troca de valor no paradigma IoT, em que os dispositivos produzem valor para seu dono e não o contrário.

Conclusão

As criptomoedas baseadas em DAG substituirão o Blockchain? É difícil dizer. Embora existam vantagens evidentes quando se trata desses sistemas DAG, estes ainda estão longe de serem uma alternativa popular, e muito poucos projetos estão trabalhando nisso. No entanto, os projetos parecem ter conquistado seu lugar na criptosfera, especialmente a IOTA, uma criptomoeda do Top 15 por capitalização de mercado.


Siga-nos no Facebook