De US$ 10 milhões para zero em dez dias: Contrato inteligente ETH da FairWin está vazio

O contrato inteligente da Ethereum (ETH) FairWin, recentemente acusado de ser o esquema Ponzi que mais cresce na Ethereum, foi esvaziado.

De acordo com os dados da Etherscan, no momento desta publicação, o saldo da FairWin era de exatamente zero ETH. Porém, o contrato inteligente detinha 49.518 ETH há apenas alguns dias, em 26 de setembro. O valor da FairWin também superou os US$ 10 milhões em 21 de setembro.

O esquema Ponzi que mais cresce na Ethereum

Não está claro se o contrato foi rescindido por seu proprietário, por alguns agentes maliciosos ou por usuários preocupados, mas a multidão de endereços que efetuou saques sugere o último.

Como o Cointelegraph relatou em 27 de setembro, vários usuários de redes social relacionados à cripto analisaram o que eles acreditavam ser o esquema Ponzi de mais rápido crescimento na Ethereum. O desenvolvedor de blockchain Philippe Castonguay alertou na época:

“O esquema Ponzi http://FairWin.me contém vulnerabilidades críticas que colocam todos os fundos em risco. Espalhe a palavra (especialmente na Ásia). Os usuários precisam retirar seus fundos e parar de interagir com o contrato o mais rápido possível.”

Mais tarde, Castonguay explicou que descobriu três grandes vulnerabilidades, "uma que permite ao proprietário/administrador dos contratos esgotar totalmente, uma que o administrador pode impedir que os usuários se retirem para sempre e outra na qual alguém, não apenas o proprietário, pode roubar novos depósitos".

Compartilhado principalmente nas redes sociais e nos blogs chineses

Uma alegação detalhada do colaborador do Reddit chutiyabehenchod em 20 de setembro explicou que o FairWin era supostamente compartilhado principalmente nas redes sociais e blogs chineses e funcionava como um programa de investimento de alto rendimento por um período de 5 dias.

Os usuários supostamente depositaram de 1 a 15 ETH e obtinham um retorno percentual de 0,5 a 1% após cinco dias. A postagem prossegue:

“Ele é descentralizado, no entanto, apenas 70% dos valores depositados realmente voltam para pagar as comissões dos depósitos mais antigos. [...] 30% sempre desaprece! Uma vez que a conta esteja vazia, aqueles que entraram por último serão punidos por perder absolutamente tudo... provavelmente alguns deles serão reinvestimentos. Atualmente com 40k ETH, 12k já são dos golpistas desconhecidos.”

O post conclui que o FairWin poderia "ser um dos maiores golpes já vistos no Ethereum".

Recentemente, o Cointelegraph também informou que executivos do Banco da Irlanda poderiam participar de um julgamento no caso contra Mark Scott, que supostamente ajudou a lavar quase US$ 400 milhões por meio do golpe de criptomoeda OneCoin.