20 mil clientes afetados: NegocieCoins não cumpre acordos e justiça não encontra dinheiro nas contas, diz Folha

A Folha de São Paulo, um dos principais veículos de comunicação do Brasil, publicou uma reportagem hoje, 11 de agosto, a respeito das atividades do Grupo Bitcoin Banco, afirmando que a empresa, operadora de exchanges de Bitcoin e criptomoedas, detém uma dívida milionária além de centenas de processos judiciais.

A situação das empresas do GBB, com saques atrasados há mais de três meses, têm sido noticiada pelo Cointelegraph desde o início dos problemas.

Segundo a Folha o GBB já havia sido considerada a maior empresa de Bitcoins do Brasil, mas em buscas nas contas bancárias, a Justiça não tem encontrado dinheiro para ressarcir os clientes, que tentam, em vão, sacar as quantias investidas.

"[quando foi classificada pelo Coinmarketcap como a maior do mundo] Na ocasião, a corretora brasileira teria negociado mais de 300 mil bitcoins em apenas 24 horas, montante que superaria US$ 2 bilhões. Apesar da quantia, as empresas do grupo do qual a NegocieCoins faz parte, não tinha fundos disponíveis em suas contas bancárias para ressarcir os clientes"

A reportagem destaca que são cerca de 200 ações em andamento com valores que variam de R$ 10 mil a R$ 12 milhões,

"No Paraná, uma decisão favorável à empresa Work Consultoria determinou o pagamento de R$ 12,120 milhões relativo a uma confissão de dívida da NegocieCoins, que venceu e não foi cumprida. A dívida original era de R$ 39,2 milhões, que diminuiu após acordo para pagamento imediato —não cumprido pelo grupo Bitcoin Banco. 'Após o vencimento [da confissão de dívida] e o não cumprimento do compromisso, todas as nossas tentativas de contato com a empresa foram em vão. Eles simplesmente sumiram”, disse Luciano Oliveira, 39, sócio da Work Consultoria", diz a reportagem.

A reportagem também fala sobre um processo no Paraná no qual o juiz determinou o bloqueio de R$ 6 milhões mas so encontrou R$ 130 mil, só neste Estado são mais de 150 ações judiciais. No total cerca de 20 mil pessoas podem ter sido afetadas pela 'paralização' no Grupo Bitcoin Banco.

Como reportou o Cointelegraph, a manifestação de clientes com saldos bloqueados na exchange de Bitcoin e criptomoedas NegocieCoins, programado para acontecer na próxima segunda-feira,12 de agosto, está mantido, afirmam seus organizadores.

No entanto, uma série de fatos ocorridos desde o anúncio do protesto, no início da última semana, podem esvaziar o movimento, segundo levantamento feito pelo Cointelegraph. Na outra ponta, Cláudio Oliveira, controlador do GBB, pediu 30 dias para resolver os problemas apontados.