Plataforma de ativos digitais da Fidelity entra em operação para clientes selecionados

A Fidelity Digital Assets, subsidiária digital da Fidelity, uma gigante dos serviços financeiros dos Estados Unidos, já está operante para um seleto grupo de clientes, anunciou a empresa em 8 de março.

Em um tuíte, a empresa escreveu:

“Estamos operantes para um seleto grupo de clientes elegíveis e continuaremos a trabalhar lentamente. Nossas soluções estão focadas nas necessidades de fundos de cobertura, family offices, pensões, doações e outros investidores institucionais.”

A Fidelity havia anunciado anteriormente no final de janeiro que a plataforma estava em seus estágios finais de testes de seu novo serviço de ativos digitais. A empresa afirmou que, desde seu anúncio inicial em outubro de 2018, vem desenvolvendo sua plataforma para atender aos padrões institucionais de negociação e custódia, bem como aos requisitos regulatórios.

Também em janeiro, fontes anônimas notaram que a oferta de custódia de Bitcoin (BTC) da Fidelity entraria em vigor em março de 2019.

Falando à CNBC nesta semana, Tom Jessop, diretor da Fidelity Digital Assets, disse que a empresa está já está operante, mas que eles ainda estão trabalhando em várias partes da plataforma. Ele observou que enquanto alguns usuários estão na plataforma desde janeiro, outros podem esperar até setembro, já que "realmente depende dos fatos e circunstâncias de cada cliente".

Jessop também acrescentou que o mercado de urso no ano passado não afetou o desenvolvimento da empresa, embora ele tenha afirmado: "se você começou um fundo de cripto no auge do mercado, provavelmente está sofrendo agora".

De acordo com Jessop, o interesse institucional pelas criptomoedas continuou a crescer apesar do mercado de baixa. Ele disse:

"Se pe para dizer algo, é que eles estão tão encorajados agora quanto quando os preços estavam mais altos."

No anúncio de fevereiro, a Fidelity afirmou que eles continuarão a expandir sua base de clientes à medida que a empresa se desenvolver mais.

A Fidelity investiu ativamente em novas tecnologias que poderiam beneficiar seu modelo de negócios em evolução, gastando US$ 2,5 bilhões por ano em novas tecnologias como blockchaininteligência artificial.

A CEO da Fidelity, Abigail Johnson, tem sido uma defensora ativa das moedas digitais, tendo introduzido a mineração de Bitcoin e Ethereum (ETH) na empresa em 2017. Ela declarou em uma conferência em Nova York que “eu sou uma crente. Eu sou uma das poucas que estão aqui perante a você hoje, vindo de uma grande empresa de serviços financeiros e que não desistiu das moedas digitais.”