OAB do Distrito Federal usa tecnologia do Bitcoin, a blockchain, em eleição do Quinto Constitucional no Tribunal de Justiça

A Ordem dos Advogados do Distrito Federal, usou uma ferramenta baseada em blockchain para realizar a eleição do representante da OAB no Tribunal de Justiça daquele estado, conhecido como Quinto Constitucional, segundo informações do Convergência Digital divulgadas em 20 de setembro.

De acordo com a reportagem, por meio da tecnologia por trás do Bitcoin, foram registradas mais de 7,1 mil votos dos advogados. O processo eleitoral, organizado pela OAB do Distrito Federal, foi realizado pela empresa espanhola Scytl, especializada em votações eletrônicas, que permite votação pelo celular em qualquer lugar.

“O objetivo era ter acesso aos votos de advogados brasileiros em território nacional e pelo mundo”, explica a diretora executiva da empresa, Caroline Venturoli. 

Segundo a publicação, a eleição combinou recursos da chamada Notarchain, um sistema de verificação blockchain utilizado para dar garantia a atos de registros em cartórios. A eleição teve 20.327 votos registrados de 7.126 votantes, que representam 23,69% dos 33.077 eleitores aptos a votar. Pela internet, o processo contou com votos de mais de 30 países, além do Brasil, sendo o maior número dos Estados Unidos.

“Considerado o blockchain dos notários, a rede assegura às autoridades e participantes todas as etapas da votação e garante a segurança jurídica dos resultados”, diz o Colégio Notarial do Brasil, que lançou a ferramenta.

Como noticiou o Cointelegraph, em um recente caso de uso da tecnologia blockchain, a Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (NASA) dos Estados Unidos está procurando contratar um cientista de dados com experiência em criptomoedas e blockchain.