Grupo de Ação Financeira Internacional destaca preocupação sobre lavagem de dinheiro com Libra e stablecoins

O órgão fiscalizador monetário global, a Grupo de Ação Financeira Internacional (GAFI), é mais uma autoridade a externar preocupações sobre o Libra do Facebook e outras stablecoins.

A adoção em massa de tais moedas pode dificultar os esforços para detectar e combater a lavagem de dinheiro e o financiamento do terrorismo, conforme a Reuters publicou em 18 de outubro.

Gestão dos potenciais riscos de uma adoção em massa

Em entrevista a repórteres em Paris, o presidente da FATF, Xiangmin Liu, disse que ambas as stablecoins - e as empresas por trás delas - estariam sujeitas a padrões globais de criptomoedas e ativos financeiros tradicionais:

“Se as stablecoins se generalizarem, isso pode levar a novos riscos relacionados à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo [...]. É nosso trabalho garantir que os novos riscos relacionados às stablecoins sejam tratados adequadamente. ”

Todo mundo odeia o Libra

As stablecoins já existem há anos, embora apenas depois o anúncio do Libra em junho pelo Facebook elas tenham atraído maior atenção, especialmente nos últimos tempos.

As autoridades de todo o mundo levantaram preocupações sobre o Libra, desde questões de lavagem de dinheiro a uma suposta ameaça para as moedas nacionais. O Facebook, em particular, é visto como ator importante para finalmente trazer stablecoins e criptomoedas para o mainstream, através de seus bilhões de usuários em todo o mundo.

Hoje, uma força-tarefa do grupo de países do G7 divulgou seu relatório completo sobre o potencial impacto das stablecoins globais.