Grandes bancos dos EUA dizem que o Facebook vai criar um 'sistema bancário paralelo'

O Libra, projeto cripto do Facebook, pode criar um "sistema bancário paralelo", segundo os bancos do Conselho Consultivo Federal dos EUA (Federal Advisory Council - FAC).

Bancos dos EUA temem que o Libra reduza volume de pagamentos

O Federal Reserve dos Estados Unidos questionou alguns dos maiores bancos do país sobre o Libra, e os bancos expressaram uma posição negativa em relação ao projeto, descrevendo riscos de possível declínio nas contas de depósito à vista e nos volumes de pagamentos bancários, como a Bloomberg publicou em 30 de setembro.

Durante uma reunião trimestral da FAC no início de setembro, os bancos declararam que o Libra e projetos similares de stablecoin, nos quais uma moeda digital é baseada em um valor agregado atrelado a uma ou mais moedas fiduciárias, também representam um possível desafio ao modelo de negócios do bancos construído com base na privacidade.

Lembrando que cerca de 52% da população dos EUA, ou 170 milhões de pessoas, foram considerados usuários ativos do Facebook em 2018, os bancos sugeriram que o Facebook está potencialmente criando um ecossistema monetário digital fora dos mercados financeiros sancionados, ou um sistema de "bancos paralelo".

Conforme os bancos declararam:

"À medida que os consumidores adotam o Libra, mais depósitos podem migrar para a plataforma, reduzindo efetivamente a liquidez, e essa desintermediação pode se expandir ainda mais nos serviços de empréstimos e investimentos".

Bancos querem continuar gerindo economias locais

Além disso, os bancos alertaram que o Libra do Facebook poderia impactar na política monetária nacional, citando o "potencial de reduzir a capacidade dos estados de monitorar, gerenciar e influenciar as economias locais".

O FAC, que reúne doze representantes do setor bancário dos EUA, consulta e aconselha o conselho do Fed sobre questões econômicas e financeiras dentro da jurisdição do órgão.

Em 26 de setembro, a Bloomberg noticiou sobre os planos do Facebook de levar sua diretora de operações Sheryl Sandberg ao Comitê de Serviços Financeiros da Câmara em outubro para tratar sobre o Libra e seus planos de lançar a stablecoin em 2020.