Reportagem do FT: Facebook em conversas com Coinbase e Gemini dos Winklevoss para lançar seu Globalcoin

O gigante da mídia social Facebook teria conversado com importantes exchanges cripto com sede nos Estados Unidos sobre a emissão de sua própria cripto, informou o Financial Times (FT) em 24 de maio.

Citando duas pessoas familiarizadas com o projeto “Globalcoin” do Facebook, o FT relata que o Facebook discutiu a iniciativa com a importante exchange cripto e carteira Coinbase. O artigo também observa que o Facebook teria conversado com a exchange Gemini, fundada pelos gêmeos Winklevoss, os conhecidos rivais do CEO do Facebook, Mark Zuckerberg.

De acordo com as fontes anônimas, o Facebook vem conduzindo negociações com grandes empresas relacionadas à cripto a fim de garantir que a sua já há muito especulada stablecoin esteja vinculada ao valor do dólar dos Estados Unidos e seja líquida, negociável e segura.

Outras empresas supostamente incluem as principais empresas de trading de alta frequência de Chicago Jump e DRW, diz o relatório.

Todas as partes mencionadas acima se recusaram a comentar o assunto para o FT, com o relatório acrescentando que a gigante das mídias sociais exigiu que assinassem acordos de não divulgação.

Embora a BBC tenha recentemente informado que a vindoura cripto no Facebook será focada em pagamentos, as fontes revelaram que o Globalcoin será "maior e mais aberto" do que apenas um método de pagamento para compras no Facebook. Como relatado anteriormente, o Facebook supostamente planeja integrar seus três aplicativos de propriedade total - WhatsApp, Messenger e Instagram - para tornar seu projeto de criptomoeda massivamente exposto.

De acordo com o FT, especialistas do setor afirmam que a regulamentação será o maior obstáculo do Facebook para emitir sua própria criptomoeda.

O Facebook registrou em 2 de maio uma nova empresa de tecnologia financeira, a Libra Networks LLC, em Genebra, que planeja oferecer serviços em finanças e tecnologias emergentes, incluindo pagamentos, financiamento, gerenciamento de identidade, análise de dados, big data, blockchain e outros.

No início de abril, Cameron e Tyler Winklevoss chegaram a um acordo com Charlie Shrem, um empreendedor de Bitcoin (BTC), para encerrar uma ação judicial que os gêmeos abriram contra Shrem no ano passado. Os irmãos acusaram Shrem de roubar 5.000 Bitcoins (no valor de cerca de US$ 40 milhões no momento desta publicação).